sábado, 23 de maio de 2015

New Korfebol Brazilian participates Week Extension of the Federal Institute of Rio de Janeiro


New Korfebol Brazilian participates Week Extension of the Federal Institute of Rio de Janeiro

The Semanex, IFRJ Extension Week, began its first edition on 19 May in Nilópolis campus. Organized by the Dean of Extension, the event had as its theme the Extension Policies and Knowledge Production.

For the first activity, Pablo da Cunha teachers (campus Pinheiral), Thiago Ponce (Maracanã campus), João Guerreiro (campus Nilópolis), the General Coordinator of Initial Training and Continuing the Dean of Extension, Amanda Carlou; and the Pro-rector Extension Associate, Neli de Almeida, presented the Plan of Art and Culture of IFRJ, discussing the Program More Culture in Universities.

João Guerreiro has to have a culture plan was essential for IFRJ created as a goal to be met, and that this is good for both the course of Cultural Production and for all other courses, joining the teaching areas. The teacher, Pablo da Cunha, recalls that with the emergence of a new routine content on campus, sprang the will to implement a degree of cultural production to the South Fluminense, and therefore approached the Nilópolis campus.

Pablo also says that a major mistake made by educational institutions is not to see the extent of activities such as research. "By the time there was an approximation of universities, began to assign a research character, but rather had not. The creation of the culture plan is excellent, but it is also important to create an extension of the valuation policy in IFRJ, regardless notices "- explains.

The English teacher and also responsible for the area of ​​literature and poetry Maracanã campus, Thiago Ponce, stresses that the most important action is to take science being done in the various campuses of IFRJ, stimulating an exchange. "We need to bring art into a context of utmost seriousness, and not put it as a complementary part, within an academic event." Taking advantage, Thiago also explains the creative writing project "Crossings Poetics", which was created due to the lack of writing and expression of feelings, creating a memory for all artistic productions, be it music, film, dance, theater, between others.

Another point discussed in the first activity was the creation of magazines to the campuses where students and servers work could be posted, and preferably have national reach and not just internal. "The arts, within the academic context, are still a gap to be filled. The creation of a periodical would be effective in the exchange of knowledge and could cover both the teaching, such as research and extension "- ends Thiago.

Amanda, through a digital presentation, showed the development on campuses and is proud to say that this portfolio is a work of all teachers. Neli complete saying that the plan aims to create a center of art for all, ensuring that there is mutual support.

At the opening ceremony was attended by him and the rector of IFRJ, Paulo Assis, the director general of the Nilópolis campus, Wallace Vallory and the dean of Extension, Ana Beja.

The rector Paulo Assis thanked the teacher Ana Beja, CoIEE the Nilópolis campus and all the institution's servers that collaborated in carrying out the Semanex. Also highlighted the accomplishments by PROEXT artistically at, culture and employability - with fair opportunities and stage - and strengthen community relations with the extension projects is a laborious action, but that should be prioritized by the institution.

Similarly, Wallace Vallory gave a warm welcome to all teachers and students from other campuses and emphasized the importance of the event in the foundation of the educational tripod - teaching, research and extension, so that everyone can learn and contribute to society.

Ana Beja account that the campus Nilópolis was chosen because it is the most centrally located and have an accessibility for wheelchair users, for example, that not all campuses have, and that the event brings together people from various parts of Brazil, contributing to the exchange of experiences and causing students to participate in new projects. "It is a privilege to organize an event of this size, with professional IF Brasília, Goiás, Rio Grande do Sul, and power democratize it so that everyone has access. View robotics personal, marching band, social inclusion projects and inclusion policies only have to add the training, "he says.

Resuming the first performance discussions, Professor Elaine Monteiro, the Federal Fluminense University (UFF), spoke about the separation of research and extension and its devaluation, the "Extension and knowledge production" lecture. Elaine also talked the issue of expanding access to higher education, the affirmative action policies and the role of students in the schools and their productions. In addition, the teacher showed part of a documentary about the jongo and affirmed the importance of the legitimacy of any cultural events and "humane treatment" participants and respondents should receive. "There are many people that will make documentary about some art and then never shows the people involved in it, people that really matter. One must understand that they are subjects and not objects of research. They are the co-authors of the work, "he adds.

The moment of laughter was because of the band's performance of teachers and students on campus Duque de Caxias, which cheered everyone on campus court with hits of Brazilian music. Yet this time, the student Julia Frauches, the 5th period Environmental Control, campus Nilópolis, was invited to join the band and let the voice with songs like "Wrecking Ball" of American singer Miley Cyrus.

During the day, students of campus Automation Volta Redonda exhibited their work. In 2009, due to the involvement in Scientific Initiation, the coordinator of industrial automation course, Helton Sereno, along with the coordinator of the course Electrical, Monique Pacheco, based the idea of ​​a robotics team on campus, the Jaguar team, currently , world champion in the category Dance Secondary.

The team exhibited works made by students, like robots demonstration initially used for an exhibition in Brasilia. These robots have bladders on and are coordinated by remote control. Also exposed "droids", similar to that used in global novel "Bite and Blows", purchased and programmed by automation students to the dance competition.

Among the oral sessions we highlight presented by prof. Vera Lúcia Rangel de Souza (IFRJ), "Collectors of recyclable material; a look at the social perspective, professional and human "; Annie Ramos, Meire Mercia, Barbara Oliveira, "literary Brisa: cultural production and literature in IFRJ library, campus Nilópolis"; Jupter Martins de Abreu Junior, "Notes on the extension activities involving music project and Social Inclusion in the neighborhood Sarapuí / DC; and students of automation campus Volta Redonda, "Team Jaguar: extension activity".

Simultaneously, the court was the Cleando Rodrigues and Abner Coelho teachers ministered I Workshop Cooperative games, instructing students in korfebol and freesby respectively. The intention of the project, explains Professor Israel, Paracambi campus, is to promote greater integration between the campuses, competitiveness is encouraged to "healthy" way. Along the project are the Edinho teachers, campus Maracanã and ProEx; Leandro and Ana Beatriz Duque de Caxias; Gabriel, Pinheiral; Edson Farret and Ingrid, São Gonçalo

Novo Korfebol Brasileiro participa da Semana de Extensão do Instituto Federal do Rio de Janeiro


Novo Korfebol Brasileiro participa da Semana de Extensão do Instituto Federal do Rio de Janeiro

A Semanex, Semana de Extensão do IFRJ, deu início à sua primeira edição no dia 19 de maio, no campus Nilópolis. Organizada pela Pró-Reitoria de Extensão, o evento teve como tema as Políticas de Extensão e Produção de Conhecimento.

Para a primeira atividade, os professores Pablo da Cunha (campus Pinheiral), Thiago Ponce (campus Maracanã), João Guerreiro (campus Nilópolis), a Coordenadora Geral de Formação Inicial e Continuada da Pró-reitoria de Extensão, Amanda Carlou; e a Pró-reitora Adjunta de Extensão, Neli de Almeida, apresentaram o Plano de Arte e Cultura do IFRJ, discorrendo sobre o Programa Mais Cultura nas Universidades.

João Guerreiro conta que ter um plano de cultura foi essencial para o IFRJ pois criou uma meta a ser cumprida, e que isso é bom tanto para o curso de Produção Cultural como para todos os outros cursos, unindo as áreas de ensino. O professor de arte, Pablo da Cunha, relembra que com o surgimento de uma nova rotina de conteúdos no campus, brotou a vontade de implementar um curso superior de produção cultural para o Sul Fluminense, e por isso, aproximaram-se do campus Nilópolis.

Pablo também comenta que um grande erro cometido pelas instituições de ensino é não ver as atividades de extensão como pesquisa. “No momento em que houve uma aproximação das universidades, começou a ser atribuído um caráter de pesquisa, mas antes não tinha. A criação do plano de cultura é excelente, mas também é importante criar uma política de valorização da extensão no IFRJ, independente de editais ”- explica.

O professor de Inglês e também responsável pela área de literatura e poesia do campus Maracanã, Thiago Ponce, frisa que a ação de maior importância é tomar ciência do que está sendo feito nos diversos campi do IFRJ, estimulando uma troca. “Precisamos trazer a arte para um âmbito de maior seriedade, e não colocá-la como uma parte complementar, dentro de um evento acadêmico”. Aproveitando, Thiago também explica o projeto de escrita criativa “Travessias Poéticas”, que foi criado em razão da carência da escrita e de manifestação de sentimentos, gerando uma memória para todas as produções artísticas, seja ela música, cinema, dança, teatro, entre outros.

Outro ponto discutido na primeira atividade foi a criação de revistas para os campi, onde pudessem ser postados trabalhos de alunos e servidores, e que, de preferência, tivessem alcance nacional e não só interno. “As artes, dentro do âmbito acadêmico, ainda são uma lacuna a ser preenchida. A criação de um periódico seria eficiente na troca de conhecimento e poderia contemplar tanto o ensino, como a pesquisa e extensão” – finaliza Thiago.

Amanda, por meio de uma apresentação digital, mostrou o desenvolvimento nos campi e orgulha-se em dizer que esse portfolio é um trabalho de todos os professores. Neli completa dizendo que o plano tem como objetivo principal a criação de um polo de arte para todos, fazendo que haja um apoio mútuo.

Na solenidade de abertura estiveram presentes o e o reitor do IFRJ, Paulo Assis , o diretor-geral do campus Nilópolis, Wallace Vallory e a pró-reitora de Extensão, Ana Beja.

O reitor Paulo Assis agradeceu à professora Ana Beja, a CoIEE do campus Nilópolis e a todos os servidores da instituição que colaboraram com a realização da Semanex. Ressaltou também as realizações pela ProExt no plano da arte, cultura e empregabilidade – com a feira de oportunidades e estágio – e que estreitar as relações da comunidade com os projetos de extensão é uma ação trabalhosa, mas que deve ser priorizada pela instituição.

Do mesmo modo, Wallace Vallory deu as boas-vindas a todos os professores e alunos de outros campi e enfatizou a importância do evento no alicerce do tripé educacional – ensino, pesquisa e extensão, para que todos possam aprender e contribuir com a sociedade.

Ana Beja conta que o campus Nilópolis foi escolhido por ser o mais central e por possuir uma acessibilidade para cadeirantes, por exemplo, que nem todos os campi possuem, e que o evento reúne pessoas de diversos lugares do Brasil, contribuindo para a troca de experiências e provocando os alunos a participarem de novos projetos. “É um privilégio organizar um evento desse porte, com profissionais do IF de Brasília, Goiás, Rio Grande do Sul, e poder democratizá-lo para que todos tenham acesso. Ver o pessoal da robótica, a banda, os projetos de inserção social e políticas de inclusão só tem a acrescentar na formação”, diz.

Retomando discussões da primeira apresentação, a professora Elaine Monteiro, da Universidade Federal Fluminense (UFF), falou sobre a separação da pesquisa e extensão e sua desvalorização, na palestra “Extensão e produção de conhecimento”. Elaine também discorreu pelo tema da ampliação do acesso ao ensino superior, das políticas de ações afirmativas e do papel dos discentes junto às escolas e suas produções. Além disso, a professora exibiu parte de um documentário sobre o jongo e afirmou a importância da legitimação de quaisquer manifestações culturais e do “tratamento humano” que os participantes e entrevistados devem receber. “Tem muita gente que vai fazer documentário sobre alguma arte e depois nunca apresenta às pessoas envolvidas naquilo, às pessoas que realmente importam. É preciso entender que elas são sujeitos, e não objetos de pesquisa. Eles são os co-autores da obra”, completa.

O momento de descontração ficou por conta da apresentação da banda de professores e alunos do campus Duque de Caxias, que animaram a todos na quadra do campus com hits da música brasileira. Ainda neste momento, a aluna Julia Frauches, do 5º período de Controle Ambiental, campus Nilópolis, foi convidada a juntar-se à banda e soltou a voz com canções como “Wrecking Ball” da cantora norte-americana Miley Cyrus.

Durante o dia, alunos do curso de Automação do campus Volta Redonda expuseram seus trabalhos. Em 2009, por conta do envolvimento em Iniciação Cientifica, o coordenador do curso de automação industrial, Helton Sereno, juntamente com a coordenadora do curso de Eletrotécnica, Monique Pacheco, fundamentaram a ideia de uma equipe de robótica no campus, a Equipe Jaguar, atualmente, campeã mundial na categoria Dance Secondary.

A equipe expôs trabalhos feitos pelos alunos, como robôs de demonstração, inicialmente usados para uma exposição em Brasília. Esses robôs possuem bexigas em cima e são coordenados por controle remoto. Expuseram também “droides”, semelhantes ao usado na novela global “Morde e Assopra”, comprados e programados pelos alunos de automação para a competição de dança.

Dentre as sessões orais destacamos a apresentada pela prof. Vera Lúcia Rangel de Souza (IFRJ), “Catadores de material reciclável; um olhar sobre a perspectiva social, profissional e humana”; Annie Ramos, Meire Mércia, Bárbara Oliveira, “Brisa literária: produção cultural e literatura na biblioteca do IFRJ, campus Nilópolis”; Jupter Martins de Abreu Júnior, “Apontamentos sobre as atividades extensionistas envolvendo o projeto de música e Inclusão Social no bairro de sarapuí/DC; e alunos do curso de automação do campus Volta Redonda, “Equipe Jaguar: atividade extensionista”.

Simultaneamente, na quadra estava, os professores Cleando Rodrigues e Abner Coelho ministravam a I Oficina de jogos Cooperativos, instruindo os alunos no korfebol e freesby, respectivamente. A intenção do projeto, explica o professor Israel, do campus Paracambi, é promover uma maior integração entre os campi, a competitividade é incentivada de forma “saudável”. Junto no projeto estão os professores Edinho, campus Maracanã e ProEx; Leandro e Ana Beatriz, Duque de Caxias; Gabriel, Pinheiral; Edson Farret e Ingrid, São Gonçalo.

Visit our fan page

Hello guys this week we got 900 tanned mark on our fan page. I ask you to publicize our work is distinguished throughout the world Korfebol so we can get tanned 1000 this year.

Internationally and nationally to the sport following a competitive philosophy that excludes forming "athletes" to be "cylindered" as the Portuguese press reported. We have nothing to do with the International Korfball Federation or the Portuguese Federation Korfball, we are disconnected from these two entities, we created our own entity ABRAKO and are guided in Brazilian sports laws, following the principles of educational sport and participation. What for many it may seem demerit for us the Abrako and a way to our own terms "independence" without having to give satisfactions to entities leval the Korfball / Korfball for the rest of the world as mode "competitive" and you end excluding people who do not have the profile of "athlete".

The Korfebol was created in 1902 by Nico Broekhuysen, for the integration of men and women on equal terms, since then, the sport has come changing, rules, philosophy, leaders currently trying in every way to put the game in the Olympic program. The current korfball has nothing more to do with the creation of Nico Broekhuysen, which in our view is unfortunate. The game was ugly, violent and a level playing field has been forgotten at the expense of "competition", where tall and strong and has time.

Therefore, we at ABRAKO and NEW BRAZILIAN KORFEBOL have another way of working, we continue promoting KORFEBOL OF 1902, included new rules, ie "abrasileiramos" Dutch sport that has unfortunately become a violent game.

Ola galera essa semana chegamos a marca de 900 curtidas em nossa fã page. Peço que divulguem nosso trabalho que é diferenciado em todo o mundo do Korfebol para que possamos chegar as 1000 curtidas ainda esse ano.

Internacionalmente e até nacionalmente a modalidade segue uma filosofia competitiva que exclui formando "atletas" para serem "cilindrados", conforme a imprensa portuguesa noticia. Não temos mais nada haver com a Federação internacional de Korfball ou a Federação Portuguesa de Corfebol, estamos desvinculados dessas duas entidades, criamos nossa própria entidade a ABRAKO e estamos pautados nas leis desportivas brasileiras, seguindo os princípios do desporto educacional e de participação. O que para muitos pode parecer demérito, para nós da Abrako e uma forma de termos nossa própria "independência" sem ter que dar satisfações a entidades que leval o Korfball/corfebol para o resto do mundo como modalidade "competitiva' e que acabam excluindo as pessoas que não possuem o perfil de "atleta".

O Korfebol foi criado em 1902, por Nico Broekhuysen, para realizar a integração de homens e mulheres em igualdade de condições, de lá para cá, o esporte veio se modificando, regras, filosofia, dirigentes que atualmente tentam de todas as maneiras colocar o jogo, no programa Olímpico. O korfball atual nada mais tem haver com a criação de Nico Broekhuysen, o que em nossa opinião é lamentável. O jogo ficou feio, violento e a igualdade de condições foi esquecida em detrimento da "competição", onde altos e fortes e que tem vez.

Sendo assim, nós da ABRAKO e do NOVO KORFEBOL BRASILEIRO temos outra forma de trabalhar, continuamos promovendo o KORFEBOL DE 1902, incluímos novas regras, ou seja "abrasileiramos" o esporte holandês que infelizmente se tornou um jogo violento.