Social Icons

*

Pages

Featured Posts

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Evento que acontece a cada dois anos e em escolas diferentes da Rede Sagrado, em 2015, será na unidade carioca. 

Entre os dias 27 a 30 de agosto, o colégio Sagrado Coração de Maria-RJ receberá cerca de 300 alunos oriundos de todas as escolas da Rede Sagrado (Ubá, Rio de Janeiro, Vitória e Belo Horizonte) para a sétima edição do Intersagrado. Trata-se de um evento esportivo, que acontece a cada dois ou três anos e de forma intercalada entre todas as unidades do país. Em homenagem ao aniversário da cidade, a temática do evento será Rio 450.

O Intersagrado tem como objetivo valorizar a cultura e a prática esportiva entre os estudantes. São várias as modalidades que acontecerão durante o encontro, como Handebol, Futsal, Voleibol e Basquetebol. O cronograma do evento conta também com horários livres para passeios culturais.

A interação não para por aí. A festa de encerramento, o Dance Sagrado, contará com a apresentação de DJ que comandará o som da festa com variados estilos musicais para animar ainda mais o evento.

A última edição do Intersagrado ocorreu entre os dias 30 de agosto a 2 de setembro de 2012, na unidade de Brasília.


As delegações dos Colégios Sagrado Coração de Maria de Belo Horizonte, Brasília, Vitória e Ubá já se encontram no Rio de Janeiro. Todas as equipes foram recebidas pela direção, professores, coordenadores, colaboradores e alunos da unidade carioca. Durante o momento da recepção, o diretor-geral, prof. Amaro França, fez as boas vindas, falou em nome Trio Gestor sobre a alegria de poder recebê-los e entregou os kits para o responsável de cada delegação, composto por sacochila, squeeze e camisa oficial do evento, além do crachá para identificação de cada um dos atletas.

A primeira delegação a chegar foi a de Vitória, que tomou café da manhã na unidade do Rio de Janeiro e, em seguida, saiu para um passeio cultural no Forte de Copacabana. O grupo voltou para almoçar na escola e, depois, se dirigiu ao hotel. As equipes de Brasília e Ubá chegaram quase juntas, próximo ao horário do almoço. Após à refeição, realizada em conjunto também no colégio, elas se dirigiram ao hotel. Após, foram passear no calçadão e conhecer a Orla do bairro.

A equipe de Belo Horizonte chegou e se dirigiu para o delicioso jantar oferecido pelo colégio do Rio, juntamente aos alunos e educadores das comissões das demais unidades, oferecido antes da cerimônia de abertura do evento.


‪#‎IntersagradoRio450‬ “Faço presente a figura de Padre Gailhac, que fundou o IRSCM para promover a vida e a vida em abundância. E o que é promover vida em abundância nestes dias de jogos?” A reflexão fez parte do discurso proferido ontem pela Ecônoma Provincial, Ir. Maria Cristina Caetano, na cerimônia de abertura do Intersagrado. Ela convidou as demais religiosas da comunidade do Rio de Janeiro para, em conjunto, declararem o início oficial das atividades. Confira as fotos na galeria de imagem do hotsite do evento. http://goo.gl/YpnjD3


Foi um verdadeiro aprendizado poder participar do Intersagrado, inclusive participando como o “Zé Carioca”, mascote do Colégio Sagrado – Copacabana Rio de Janeiro. Foram 3 dias de confraternização, amizade, cooperação, todos as unidades participando com muito amor e felizes por estarem no Rio de Janeiro.



sábado, 29 de agosto de 2015

1º DE SETEMBRO - COMEMORAÇÃO DIA PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA



Estarei, orgulhosamente, ministrando uma palestra para alunos do curso de Educação Física da Universidade Universo de São Gonçalo neste 1 de setembro! Esse dia tem que ser muito comemorado, pois representa toda uma categoria que ama o que faz! Por isso, ABRACE SEU PROFESSOR!!!!!
 
Iremos postar as fotos e vídeos do evento na quarta feira dia 2 de setembro
 
 

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

KORFEBOL BRASILEIRO COLÉGIO MUNICIPAL RORAIMA


Ola amigos estivemos no Colégio Municipal Roraima localizado no Bairro de Cordovil - Rio de Janeiro. Cerca de 100 crianças na idade de 10 a 15 anos tiveram a oportunidade de vivenciar o Novo Korfebol brasileiro.




Professoras Isabela Herdy e Luciana Rodrigues apoiam o Korfebol Brasileiro














quarta-feira, 19 de agosto de 2015

KORFEBOL BRASILEIRO EM PETRÓPOLIS



O Korfebol brasileiro continua se desenvolvendo, mesmo não adotando a perspectiva competitiva, no Brasil não temos o objetivo de "formar atletas" e nem de desenvolver competições que acabam excluindo os menos privilegiados.

Petrópolis através do Professor de Educação Física Leandro Azevedo, vem realizando grande trabalho em prol do Korfebol Brasileiro. Os treinamentos e jogos acontecem no Colégio Anglicano de Araras todos os sábados as 11 horas.

Korfebol hoje na educação física escolar. União dos gêneros...




Inovação no Korfebol brasileiro a união de basquete com o Korfebol, por aqui utilizamos também bolas de basquete para a prática do Korfebol.

sábado, 15 de agosto de 2015

Marcelo Vido Diretor de Esportes Olímpicos do Flamengo conhece o Korfebol brasileiro




Marcelo Vido foi um atleta vitorioso, por onde passou levantou troféus. Foi campeão mundial pelo Sírio, mas foi em São José dos Campos onde viveu seus melhores anos de atleta.

Pela Seleção Brasileira, disputou dois Jogos Olímpicos (80 e 84), 3 Mundiais(78, 82, 86), foi bi campeão sulamericano (83 e 85) e campeão do Pré Olimpico de 84.

Fora das quadras, Vido também não deixa por menos. Com uma impressionante formação acadêmica, ele é o atual Gerente de Negócios e Marketing do Minas, mas antes disto passou pela Secretaria de Esportes do Estado de Minas Gerais, COB e Atlético Mineiro e atualmente é Diretor de Esportes Olímpicos do Clube de Regatas Flamengo.

Bruno Spindel Gerente de Marketing do Flamengo conhece o Korfebol



Engenheiro formado pela Pontífice Universidade Católica – PUC, do Rio de Janeiro, com MBA em Mercado de capitais também pela PUC-RJ, possui 14 anos de experiência em gestão de portfolio nos mercados financeiros globais e investimentos alternativos no Brasil e no exterior. Ex-sócio da Graphus Capital gestora de recursos, ocupa atualmente a função de Diretor de Marketing do Clube de Regatas Flamengo.

Marcelo Korfebol participa do Curso de Gestão Marketing Esportivo João Henrique Areias


Amigos do Futebol show e nosso contato para levarmos o Korfebol brasileiro para o estado de Tocantins Prof. Leão (da esquerda para direita) Ivani Leal (Futebol Show). Prof Leão (Tocantins), Marcio Cogo (Futebol Show) e Marcelo Korfebol.



João Henrique Areias, Fred Luz, Pedro Trengouse, Marcelo Vido e Bruno Spindel




quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Professor Marcelo Korfebol participa do Curso de Marketing Esportivo de João Henrique Areias


Olá amigos que visitam o Blog do Korfebol brasileiro. Estivemos participando mais uma vez do Curso de João Henrique Areias, um dos parceiros do KORFEBOL BRASILEIRO.
Aproveitamos a oportunidade para realizarmos diversas parcerias para nosso esporte cada vez mais "BRASILEIRO".


João Henrique Areias, Fred Luz (Diretoria do Flamengo) Pedro Trengouse, Marcelo Vido (Coordenador esportes Olímpicos do Flamengo) e Bruno Spindel (Marketing do Flamengo)


Presidente do Flamengo  Eduardo Bandeira de Melo apareceu para prestigiar o Curso de João Henrique Areias


Grandes parceiros do nosso trabalho com o KORFEBOL BRASILEIRO, Ivani Leal (Futebol Show), João Henrique Areias e Marcio Cogo (Futebol Show).

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Professor Marcelo Korfebol irá participar da Semana Acadêmica Universidade Salgado de Oliveira "UNIVERSO"


Professor Marcelo Soares, mais conhecido como Marcelo Korfebol estará participando das comemorações do Dia do Profissional de Educação Física em 1º Setembro. 

Estaremos apresentando o Korfebol Brasileiro e suas novas regras, já que queremos fazer um Korfebol brasileiro bem diferente do resto do mundo, manter as regras que foram criadas por Nico Broekhysen de 1902 e colocar regras brasileiras de igualdade, cooperação e tornar o Korfebol com "K" cada vez mais brasileiro. Sem nos preocuparmos com a formação de "atletas" como quer a entidade que dirige o Korfball/Corfebol mundial.


Professor Marcelo Soares, better known as Marcelo Korfebol will participate in the celebrations of the Day of Physical Education Professional on 1 September.

We will be presenting the Brazilian Korfebol and its new rules, since we want to make a very different Brazilian Korfebol the rest of the world, maintain the rules that were created by Nico Broekhysen 1902 and put Brazilian equality rules, cooperation and make Korfebol with "K "more and more Brazilian. Without worrying about the formation of "athletes" as either the entity that runs the Korfball / korfball world.

quinta-feira, 30 de julho de 2015

O QUE É ESPORTE EDUCACIONAL NO BRASIL ?






Uma grande dificuldade que pude perceber ao longo desses 18 anos trabalhando com o Korfebol e que as grande parte das pessoas não sabem fazer a diferença de Esporte Competitivo x Esporte Educacional e Competição x Cooperação. Principalmente os estrangeiros que trabalham com o Korfball/Corfebol de maneira competitiva nos demais países praticantes.

Coloco aqui abaixo um texto explicativo sobre a legislação brasileira, explicando o que é Esporte Educacional e o porque do Korfebol brasileiro ser diferente de qualquer outro Corfebol/Korfball praticado pelo resto do mundo

O Esporte Educacional é uma manifestação do esporte com foco na inclusão social. Sua base é o processo de aprendizado e desenvolvimento integral do ser humano, não apenas a formação do indivíduo como atleta.

Ele adapta regras, estruturas, espaços e gestos motores de acordo com as realidades de cada território. Mescla o saber formal, aprendido na escola, com o saber informal, produzido pela comunidade. É uma forma de aprendizagem de valores e conteúdos, onde se pode aprender jogando e jogar aprendendo.

O esporte educacional requer planejamento pedagógico que se desenvolve ao longo do tempo, visando atingir aos objetivos (educacionais) que se propõe. A intencionalidade pedagógica deve ser traduzida nas seguintes premissas:

a) Ensinar o esporte para todos, respeitando a diversidade de gênero, biótipo, raça, etnia;

b) Ensinar bem esporte, considerando a diversidade para desenvolver as habilidades e as táticas esportivas dos alunos, para além das aptidões esportivas;

c) Ensinar mais do esporte, estimulando o desenvolvimento de competências para a inserção social e exercício da cidadania, que implica no desenvolvimento da capacidade de leitura crítica do mundo e do próprio esporte nos diferentes contextos em que este se manifesta.

O esporte educacional se diferencia do esporte de rendimento porque não seleciona os mais aptos, não está submetido à lógica exclusiva do rendimento máximo que está presente nas competições e grandes eventos esportivos de alto nível. É importante ressaltar que não se trata da atribuição de valor negativo à competição, como algo a ser evitado, pelo contrário, a competição dentro do processo educacional proporciona aprendizagens específicas e é pensada ou planejada para que todos a vivenciem.

As Diretrizes do Esporte Educacional


Para a Petrobras, o conceito de Esporte Educacional está baseado em cinco diretrizes:

• Promover a interação das diferenças e o respeito às individualidades – incentivar ao acesso de crianças e adolescentes ao esporte, sem qualquer forma de distinção ou discriminação. Trabalhar a percepção, reconhecimento e valorização das diferenças entre as pessoas no que se refere à raça, cor, religião, gênero, biotipo e níveis de habilidades.

• Incentivar a autonomia, a cooperação e a corresponsabilidade – utilizar o esporte como fator de educação emancipatória, baseando-se no conhecimento, no esclarecimento e na autorreflexão crítica para superar modelos. Portanto, a autonomia constitui-se na participação ativa de todos os envolvidos na estruturação do processo de ensino e aprendizagem do esporte.

• Valorizar as identidades regionais e saberes populares – reconhecer o esporte enquanto manifestação cultural e identitária. Trabalhar a cultura corporal local – jogos, danças, brincadeiras e esportes – socialmente referenciadas na comunidade, como uma importante ferramenta de ensino, de aprendizagem e de definição das identidades dos sujeitos em suas realidades locais.

• Contribuir para o desenvolvimento motor, cognitivo e socioafetivo de crianças e adolescentes – ampliar o entendimento do esporte como veículo potencial de desenvolvimento, não apenas das habilidades motoras, mas também de interação social e de processos de ensino-aprendizagem. As ações pedagógicas devem abordar os conteúdos nas dimensões conceitual, atitudinal e procedimental.

• Atuar em sinergia com políticas, especialmente nas áreas de esporte, educação e cultura – desenvolver práticas pedagógicas esportivas articuladas às demais áreas de conhecimento e o diálogo estreito com diferentes esferas públicas, como saúde, esporte, assistência, educação, entre outros.




A major difficulty that I could see over these 18 years working with Korfebol and that most people do not know make a difference Competitive Sport Competition x x Educational and Sports Cooperation. Mainly foreigners working with the Korfball / Korfball competitively in other countries practitioners.


Place below an explanatory text on the Brazilian legislation, explaining what is Educational Sports and why the Brazilian Korfebol be unlike any other Korfball / Korfball practiced by the rest of the world.
The Educational Sport is a manifestation of sport with a focus on social inclusion. Its base is the learning process and integral development of the human being, not just the formation of the individual as an athlete.


He adapts rules, structures, spaces and gestures engines according to the realities of each territory. Gets a formal knowledge, learned in school, with knowledge informal, produced by the community. It is a way of learning values ​​and content, where you can learn playing and learning to play.


The educational sport requires pedagogical planning that develops over time, aiming to reach the goals (educational) that proposes. The pedagogical intention to be translated on the following assumptions:

a) Teaching the sport for all, respecting diversity of gender, biotype, race, ethnicity;

b) Teaching and sport, considering the diversity to develop the skills and tactics of sports students, in addition to sports skills;

c) Teaching more sport, encouraging the development of skills for social inclusion and citizenship, which implies the development of critical reading of the world capacity and the sport itself in the different contexts in which this manifests itself.


The educational sport differs from performance sport because it does not select the fittest, is not subject to the exclusive logic of maximum yield that is present in competitions and major sporting events of high level. Importantly, it is not assigning a negative value to the competition, as something to be avoided, however, the competition within the educational process provides specific learning and is thought or planned so that everyone to experience.


The Guidelines of the Educational Sport


For Petrobras, the concept of Educational Sport is based on five guidelines:


• To promote the interaction of differences and respect for the legend - to encourage access by children and teenagers to sports, without any form of distinction or discrimination. Working perception, recognition and appreciation of differences between people with regard to race, color, religion, gender, body type and skill levels.


• Encourage autonomy, cooperation and responsibility - to use sport as an emancipatory education factor, based on the knowledge, awareness and critical self-reflection to overcome models. Therefore, autonomy constitutes the active participation of all involved in the structuring of the teaching process and learning the sport.

• Enhance regional identities and popular knowledge - recognize sport as a cultural expression and identity. Working the local body culture - games, dances, games and sports - socially referenced in the community as an important teaching tool, learning and defining the identities of the subjects in their local realities.

• Contribute to the motor, cognitive and socio-affective of children and adolescents - enlarge the understanding of sports as a potential vehicle development, not only motor skills, but also social interaction and teaching-learning processes. Pedagogical actions should address the content on conceptual, attitudinal and procedural dimensions.

• To act in synergy with policies, especially in sport, education and culture - develop sports pedagogical practices tailored to other areas of knowledge and the close dialogue with different public spheres such as health, sports, care, education, among others.

terça-feira, 28 de julho de 2015

ABRAKO - KORFEBOL BRASILEIRO




A key feature of the Brazilian KORFEBOL is not Physical Contact permission (for example, the jostling and too aggressive play), while the rest of the world, the sport is practiced with the permission of "moderate physical contact." For the promoters of the Brazilian KORFEBOL, this difference makes the overseas practiced sport presents a hostile sport and makes the game becomes much done, "in search of competition and the formation of" athletes "the main objective of this sport . Something that is not consistent with the history and the integrating and hospitable culture of the Brazilian people.

So it was created ABRAKO - Association Korfebol Brazilian, currently totally independent of the International Korfball Federation, which has been linked by 2012, at which time there was a "turning table" by a group of "former students" Professor Marcelo Soares, who allied himself with a group of dissidents in São Paulo, who felt displaced from work focused on social and educational issues that Professor Marcelo Soares always practiced.

These groups resolved to mancomunar with the entity that runs the sport as well and also with representatives of the Portuguese Federation of korfball in a desperate attempt to remove Professor Marcelo Soares, the "Representation of Korfball" in Brazil.

But who knows personally the work carried out (since 1998) by Soares, knows he does not give up so easy even says in his lectures, which are even more motivated to spread the game throughout the country, without the worry of conduct championships and free that little policy to commit time and resources only in training athletes and make the game be Olympic sport.

The sport as a citizenship and cultural affirmation building tool is the great fundatório shaft KORFEBOL Brazilian, this, much more aligned to the principles of integration and participation of all, like Professor Nico Broekhuysen taught and in 1902 in the Netherlands.



Uma das principais características do KORFEBOL BRASILEIRO é a não permissão de Contato Físico, (como por exemplo, os empurrões e demais jogadas agressivas), enquanto que no resto do mundo, a modalidade é praticada com a permissão do "contato físico moderado". Para os divulgadores do KORFEBOL BRASILEIRO, esta diferença faz com que o esporte praticado no exterior apresente uma prática desportiva hostil e faz com que o jogo se torne muito feito", em busca de competição e da formação de "atletas" como objetivo principal deste esporte. Algo que não condiz com a História e a cultura integradora e hospitaleira do povo brasileiro.

Por isso, foi criada a ABRAKO - Associação de Korfebol Brasileiro, que atualmente é totalmente independente da Federação Internacional de Korfball, da qual esteve vinculada até 2012, quando então ocorreu uma "virada de mesa" por parte de um grupo de "ex alunos" do professor Marcelo Soares que se aliou a um grupo de dissidentes em São Paulo, que se sentiam deslocados do trabalho focado nas questões sócio-educacionais que o professor Marcelo Soares sempre praticou.

Estes grupos resolveram se mancomunar com a entidade que dirige o esporte e também e também com representantes da Federação Portuguesa de Corfebol, numa tentativa desesperada de retirar o Professor Marcelo Soares, da "Representatividade do Korfball" no Brasil. 

Porém, quem conhece pessoalmente o trabalho desenvolvido (desde 1998) por Soares, sabe que ele não desiste tão fácil, inclusive, comenta em suas palestras, que está até mais motivado para divulgar o Jogo em todo território nacional, sem a preocupação de realizar campeonatos e livre dessa política pequena de empenhar recursos e tempo apenas na formação atletas e fazer o jogo ser desporto olímpico. 

O esporte como uma ferramenta de construção de cidadania e afirmação cultural é o grande eixo fundatório do KORFEBOL BRASILEIRO, este, muito mais alinhado aos princípios de integração e participação de todos, tal qual o Professor Nico Broekhuysen ensinou e em 1902 na Holanda.

segunda-feira, 27 de julho de 2015

MARCELO KORFEBOL NA FEIRA RIO SPORTS SHOW



Aproveitando as férias de Julho no Brasil, estivemos participando da feira de esportes Rio Sport Show. Uma grande oportunidade de fazer novos contatos e reencontramos amigos que apoiam o NOVO KORFEBOL BRASILEIRO.


Professor Thiago Medeiros, grande amigo ex presidente do "Crefinho" no Rio de Janeiro.


Arley Savaget organizador do Evento RIo Sport Show


Casal de amigos da Universidade Castelo Branco - Graduação - Luciane Barja e Lauro Ivo Jr.
Recentemente estivemos na UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ campus R9 à convite do amigo Professor Lauro Ivo Jr.


Presença na Estacio R9 - Taquara - RIo de Janeiro



André Ferraz - Professor de Educação Física - Atua na Região do Grande Méier - no Conselhor Regional administrativos. Parceiro do KORFEBOL BRASILEIRO.


Revista do Empresario - Stand do amigo Leo Alevato







KORFEBOL BRASILEIRO

KORFEBOL BRASILEIRO
Leia a história do Korfebol brasileiro