Social Icons

*

Pages

Featured Posts

sábado, 25 de junho de 2016

SIMPÓSIO DINÂMICA DE MARKETING ESPORTIVO FACULDADES INTEGRADAS DE JACAREPAGUA



O Simpósio será realizado na FIJ - Faculdades Integradas Jacarepaguá.

Endereço: Ladeira da Freguesia, 196 - Freguesia (Jacarepaguá), Rio de Janeiro - RJ

Data: 02/07/16. (Sábado)

Horário: 9h às 17h.
Investimento: R$ 247,50

Para as compras por cartão de crédito, são aceitas as seguintes bandeiras: Visa, MasterCard, American

Express, Diners e Hipercard.


CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER


A passagem dos Jogos Olímpicos pelo Rio de Janeiro mostra que, cada vez mais, o esporte no Brasil necessita de profissionais qualificados para gerirem entidades, clubes, equipes e projetos esportivos e, por esta razão, a Dinâmica Empreendimentos Educacionais e Esportivos e a FIJ – Faculdades Integradas de Jacarepaguá, trazem para a cidade mais icônica do Brasil, o 1º Seminário Dinâmica de Marketing Esportivo.



Neste momento de grandes transformações estruturais, sociais e culturais no Brasil, este seminário apresenta novos conceitos e ideias, tendo o esporte como mola propulsora de transformação social.

O 1º Seminário Dinâmica de Marketing Esportivo apresentará temas como:
Negócios.
Formação de cidadãos.
Processo histórico.
Desenvolvimento da sociedade
Jogos Olímpicos 2016.

Nessa edição do Seminário Dinâmica de Marketing Esportivo participa grandes referências no Marketing Esportivo Brasileiro, com vivências e atuações no meio esportivo, que apresentarão temas incitando a reflexão quanto ao futuro do esporte nacional.


MARCELO KIELING - “Marketing, Negócios do Esporte e Relações do Mercado”.


Jornalista, Publicitário, Bacharel em Ciências Contábeis, com especializações e Pós graduação em Marketing Estratégico e administração. Atualmente responde pela Direção Comercial do Jornal A Voz da Cidade e do DataVoz - Instituto de Inteligência Estratégica.

WAGNER COE – “Esporte Como ferramenta Pública de Socialização e Desenvolvimento, A importância do Esporte para a Gestão Pública e a Relevância do Esporte na formação da Juventude”.



Professor Universitário, Sub Secretário de Esportes do Município do Rio de Janeiro, Advogado, foi Diretor Técnico da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (SMEL), Presidente do Clube da Light, Presidente da Federação de Vôlei Master do Rio de Janeiro.

FRED MOURÃO - "Marketing no Esporte: Estrutura, Branding, Captação e Fidelização".


Formado em Marketing na UCSD, Gestão de Negócios no Ibmec, Gestão de Futebol na CBF, Administração e Economia na UERJ, com passagens como Executivo de Marketing no CRFlamengo - responsável pelo projeto Sócio Torcedor e eventos como aniversário de 60 anos do Zico e posteriormente do Júnior - Gerente Regional Brasil da SKY; Executivo na Tyson Foods/Macedo, NET, TVA e Meridien, Palestrante para o Sebrae, Accor, Lee Hatch Harrisson/DBM; e, atualmente, Coordenador, Orientador e Professor do MBA em Gestão e Marketing Esportivo da Trevisan Escola de Negócios.


JOSÉ PAULO NEVES – “Marketing Pessoal na Educação Física”.

Profissional de Educação Física, Diretor e Conselheiro do Conselho Regional de Educação Física do Rio de Janeiro, Membro da Câmara Técnica de Educação Física Escolar, Mestre em Ciências da Motricidade Humana, Professor da Rede Estadual e Municipal do Rio de Janeiro, Pós Graduado em Gestão e Marketing, Gestão de Projetos e Mestre em Ciências da Motricidade Humana.

FABIO TUBINO – “Os Jogos Olímpicos no Brasil. A importância para o esporte e seu legado Social”.

Jornalista e Professor, Mestre em História, memória social e documento pela Uni Rio, Pós graduação em marketing e Administração Esportiva e Gestão de Eventos. Autor do Dicionário Tubino do Esporte.
























quinta-feira, 23 de junho de 2016

Olympic medalists criticize dirt and expose chaos in Rio-2016 arena - Medalhistas olímpicas criticam sujeira e expõem caos em arena da Rio-2016


Satiro Sodré/ SSPress/CBDA




















A menos de cinco meses do início das Olimpíadas de 2016, que serão realizadas no Rio de Janeiro, uma arena que receberá competições de três modalidades durante os Jogos virou motivo de crise. As espanholas Gemma Mengual e Ona Carbonell, ambas medalhistas olímpicas, reclamaram de sujeira e criticaram a estrutura que encontraram no Parque Aquático Maria Lenk para o evento-teste do nado sincronizado, que começou no dia 2 de março e vai até o dia 6. Com isso, escancararam o quanto o equipamento se transformou em problema para a Rio-2016.

“Nós falamos sobre isso ontem [quarta-feira] e nada mudou desde então. Os vestiários estão sujos, assim como o fundo da piscina”, avaliou Ona, 25, medalhista de prata no dueto dos Jogos de Londres-2012. “O piso na área de competição está um pouco escorregadio”, completou Gemma, 38, dona de duas de Pequim-2008 (dueto e equipes).

As espanholas treinam juntas desde 2015 e conquistaram o ouro no dueto do evento-teste do nado sincronizado para a Rio-2016 e já estão classificadas para os Jogos. A despeito das críticas, ambas elogiaram a estrutura do Maria Lenk. “É uma piscina boa, de primeiro nível, com tudo que precisamos”, disse Ona.

Segundo o Comitê Organizador Rio-2016, a responsabilidade sobre o Maria Lenk no evento-teste é da CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos) e da Fina (Federação Internacional de Natação), que são as organizadoras da competição – o torneio serve como classificatório para os Jogos.

“É um evento-teste. A gente fez com alguma dificuldade de orçamento, mas para os Jogos essas questões vão ser repensadas”, disse Ricardo Prado, ex-nadador e gerente-geral de esportes aquáticos da Rio-2016.

No entanto, alguns dos pontos levantados por elas são problemáticos além do evento-teste. O principal deles é o piso da área de competição: não há orçamento ou prazo para troca dos azulejos, e o espaço será apenas coberto por uma espécie de carpete para os Jogos.

Construído para os Jogos Pan-Americanos de 2007, o Maria Lenk custou R$ 85 milhões e foi cedido ao COB (Comitê Olímpico do Brasil) no ano seguinte. Em 2014, foi fechado para uma reforma que custou R$ 21,4 milhões aos cofres municipais.

A intervenção teve como principais focos a área de aquecimento seco e a piscina de treinamento, que foi inteiramente reformada. Contudo, isso não encerrou os problemas do aparato para os Jogos Olímpicos.

Como o Júlio Delamare, que originalmente seria palco do polo aquático, foi excluído da lista de instalações olímpicas, o Maria Lenk teve de acomodar a primeira fase da modalidade – o espaço já receberia saltos ornamentais e nado sincronizado.

Na negociação para que o Maria Lenk tivesse os três esportes, a Fina exigiu uma segunda piscina de aquecimento para o polo aquático. Como não havia orçamento para isso, os responsáveis pelos Jogos aproveitaram um tanque que seria instalado no Parque dos Atletas. Ainda não há licitação ou prazo para instalação do aparato temporário – toda a operação de compra, montagem e desmontagem de três piscinas para o local custará algo entre R$ 23 milhões e R$ 24 milhões.






Satiro Sodré/ SSPress/CBDA

Olympic medalists criticize dirt and expose chaos in Rio-2016 arena


Within five months of the start of the 2016 Olympics, to be held in Rio de Janeiro, an arena that receive competitions three disciplines during the Games turned crisis reason. The Spanish Gemma Mengual and Ona Carbonell, both Olympic medalists, complained of dirt and criticized the structure found in the Maria Lenk Aquatic Park for the synchronized swimming test event, which began on March 2 and runs until 6. With this, burst open as the equipment became a problem for the Rio-2016.

"We talked about this yesterday [Wednesday] and nothing has changed since then. The changing rooms are dirty, as well as the bottom of the pool, "said Ona, 25, silver medalist in duet of London 2012 Games. "The floor in the area is a bit slippery," added Gemma, 38, owner of two Beijing 2008 (duet and team).

The Spanish train together since 2015 and won gold in the synchronized swimming duet event test for Rio-2016 and are already qualified for the Games. Despite the criticism, both praised the structure of the Maria Lenk. "It's a good pool of first level, with everything we need," Ona said.

According to the Rio 2016 Organizing Committee, the responsibility for the Maria Lenk in the test event is the CBDA (Brazilian Aquatic Sports Confederation) and FINA (International Swimming Federation), who are the organizers of the competition - the tournament serves as qualifying for the Games.

"It is a test event. We made some difficult budget but for the Games these issues will be rethought, "said Ricardo Prado, former swimmer and general manager for water sports Rio-2016.

However, some of the points raised by them are problematic beyond the test event. The main one is the floor of the competition area: no budget or deadline for return of the tiles, and the space will be covered only by a kind of carpet for the Games.

Built for the Pan American Games in 2007, the Maria Lenk cost R $ 85 million and was assigned to the COB (Brazil Olympic Committee) the following year. In 2014 it was closed for a renovation that cost R $ 21.4 million to municipal coffers.

The intervention had as main focuses dry heating area and the pool training, which was entirely renovated. However, this did not end the apparatus of the problems for the Olympic Games.

As Julio Delamare, which originally would stage water polo was excluded from the list of Olympic facilities, the Maria Lenk had to accommodate the first phase of the sport - the space already receive diving and synchronized swimming.

In negotiating for the Maria Lenk had three sports, Fina required a second pool heating for water polo. As there was no budget for it, those responsible for the Games took a tank that would be installed in the Athletes Park. No bidding or deadline for installation of temporary apparatus - the entire purchase transaction, assembly and disassembly of three pools for the site will cost something between R $ 23 million and R $ 24 million

sábado, 18 de junho de 2016

Rio declares state of emergency - RIo declara Estado de Calamidade Pública




O artigo 3º prevê que “as autoridades competentes editarão os atos normativos necessários à regulamentação do estado de calamidade pública para a realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016”.

Por fim, o artigo 4º determina que o decreto entrará em vigor na data de sua publicação, ou seja, nesta sexta-feira.

Para justificar a medida, o governo estadual elencou oito itens: “a grave crise econômica que assola o Estado do Rio de Janeiro”; “a queda na arrecadação, principalmente a observada no ICMS e nos royalties e participações especiais do petróleo”; “os esforços de reprogramação financeira já empreendidos para ajustar as contas estaduais”; “que a crise vem impedindo o Estado do Rio de honrar seus compromissos para a realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos”; “que tal fato vem acarretando severas dificuldades na prestação dos serviços públicos essenciais e pode ocasionar ainda o total colapso na segurança pública, na saúde, na educação, na mobilidade e na gestão ambiental”; “que a interrupção da prestação de serviços públicos essenciais afeta sobremaneira a população”; “que já nesse mês de junho as delegações estrangeiras começam a chegar na cidade do Rio, a fim de permitir a aclimatação dos atletas para a competição que se inicia no dia 5 de agosto”; e que “os eventos possuem importância e repercussão mundial, onde qualquer desestabilização institucional implicará um risco à imagem do país de dificílima recuperação”.

Os governos federal e estadual estudam desde a semana passada uma saída legal para que a União preste socorro financeiro emergencial ao Rio de Janeiro, a fim de garantir recursos ainda pendentes para a Olimpíada, além do dinheiro para pagar salários atrasados de servidores.

Na noite desta quinta-feira, 16, Dornelles reuniu-se com o presidente da República em exercício, Michel Temer (PMDB), o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e a secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi, em jantar no Palácio do Jaburu, em Brasília. Estavam presentes também o prefeito Eduardo Paes (PMDB) e o presidente da Assembleia Legislativa e do PMDB-RJ, Jorge Picciani. Estava em estudo a edição de duas medidas provisórias para permitir a liberação de recursos da União para o Estado, que pleiteia R$ 3 bilhões em verba federal.

Além do pagamento de salários de funcionários públicos, os recursos serão usados para pagar benefícios de policiais militares, como o Regime Adicional de Serviço (RAS), e para a conclusão da linha 4 do metrô, que fará a ligação entre Barra da Tijuca (zona oeste) e Ipanema (zona sul). O governo planejava usar como argumento para as duas medidas provisórias a situação crítica das finanças do Estado, agora explicitada com a decretação do estado de calamidade pública no setor. As MPs seriam usadas porque têm efeito imediato e já passam a vigorar enquanto tramitam no Congresso.

Salários atrasados. Neste mês de junho o governo do Rio voltou a atrasar o pagamento de salários dos servidores ativos, inativos e pensionistas do Poder Executivo. Sem dinheiro em caixa para pagar integralmente os vencimentos de maio, o Estado anunciou que quitaria apenas 70% da folha de pagamento no último dia 14, com desembolso de R$ 1,1 bilhão.

O atraso atinge 393.143 mil servidores. Apenas os 85.737 funcionários ativos da secretaria de Educação receberam integralmente no dia 14. Até agora não há data para pagar o valor restante – o governo fluminense anunciou que a data seria informada nesta semana.

O Estado do Rio definiu uma conta para o cálculo da primeira parcela de cada servidor. Foi decidido que os trabalhadores receberão no dia 14 R$ 1.000 mais 50% da diferença entre o valor líquido do seu vencimento e a parcela de R$ 1.000. Um servidor que recebe, por exemplo, R$ 4.000 líquidos, terá depositados R$ 1.000 mais R$ 1.500 (valor corresponde à metade da diferença entre R$ 4.000 e R$ 1.000).

Os servidores ativos da Educação serão pagos com recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), que, de acordo com o governo estadual, podem ser destinados apenas aos servidores da ativa.

Não é a primeira vez que o Estado do Rio atrasa o pagamento dos servidores. Em abril decidiu postergar para maio o pagamento dos vencimentos de março de parte dos servidores aposentados e pensionistas. Em ação movida pela Defensoria Pública, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) bloqueou R$ 649 milhões de contas bancárias do Estado para regularizar esse pagamento.

Os vencimentos foram pagos, mas o governo recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF), alegando que os recursos depositados nas contas eram oriundos de financiamentos para investimentos e não poderiam, por lei, ser usados para pagar folha de pessoal.
 
 
 
 The 49 days of the Olympic Games, the state government of Rio de Janeiro declared a state of emergency on Friday, 17, in the State Gazette. The text signed by the governor, Francisco Dornelles (PP), pointed to "serious financial crisis in the state of Rio de Janeiro, which prevents the fulfillment of the obligations as a result of the Olympic and Paralympic Games Rio 2016".



The government also argues that the economic crisis "has been causing severe difficulties in providing public services, health, education, mobility and environmental management." Until 17 pm this Friday, the government's advisory did not detail the practical consequences of this measure.

By Article 2 of the decree, the competent authorities are authorized to "adopt exceptional measures necessary for the rationalization of all essential public services" for the realization of the Rio Olympics.

Dornelles. Photo: Disclosure
Francisco Dornelles. Photo: Disclosure
Article 3 provides that "the competent authorities shall issue the normative acts needed to the regulation of public emergency status for the Olympic and Paralympic Games Rio 2016".

Finally, Article 4 provides that the decree will enter into force on the date of its publication, ie on Friday.

To justify the measure, the state government has listed eight items, "the serious economic crisis in the state of Rio de Janeiro"; "The drop in revenues, mainly observed in the VAT and royalties and special oil interests"; "Financial reprogramming efforts already undertaken to adjust the state accounts"; "The crisis has prevented the state of Rio to honor its commitments to the Olympic and Paralympic Games"; "That this fact has been causing severe difficulties in the provision of essential public services and can even cause a total breakdown in public security, health, education, mobility and environmental management"; "The interruption of the provision of essential public services greatly affects the population"; "Already this June foreign delegations begin arriving in Rio in order to allow for acclimatization of athletes for the competition which starts on August 5"; and that "the events have importance and worldwide impact, where any institutional destabilization imply a risk to the country's most difficult recovery image."

The federal and state governments are studying since last week a legal outlet for the Union to provide emergency financial aid to Rio de Janeiro in order to ensure outstanding resources for the Olympics, plus the money to pay back wages servers.

On the evening of Thursday, 16 Dornelles met with the president in office, Michel Temer (PMDB), the Finance Minister, Henrique Meirelles, and the secretary of the Treasury, Ana Paula Vescovi, dinner at the Palace Jaburu in Brasilia. Also present were Mayor Eduardo Paes (PMDB) and the President of the Legislative Assembly and the PMDB-RJ, Jorge Picciani. I was studying the issue of two provisional measures to allow the release of federal funds to the state, which pleads R $ 3 billion in federal funding.

In addition to the payment of civil servants salaries, the funds will be used to pay benefits to military police, as the Additional Board Service (RAS), and the completion of the metro line 4, which will connect Barra da Tijuca (zone west) and Ipanema (south zone). The government planned to use as an argument for the two provisional measures the critical situation of state finances, now spelled with the decreeing of state of public calamity in the sector. MPs would be used because they have immediate effect and has become effective as proceed through the Congress.

back pay. In June the government of Rio returned to delay the payment of salaries of active employees, retirees and pensioners of the Executive Branch. No cash on hand to pay off the salaries of May, the state announced that quitaria only 70% of payroll in the last 14, with disbursement of R $ 1.1 billion.

The delay reaches 393,143,000 servers. Only 85,737 active employees of Education department received full on day 14. So far there is no date to pay the remaining amount - the Rio de Janeiro state government announced that the date would be informed this week.

The Rio government set up an account for the calculation of the first installment of each server. It was decided that the workers will receive on 14 R $ 1,000 plus 50% of the difference between the net value of their maturity and the amount of R $ 1,000. A server that receives, for example, US $ 4,000 net, have deposited R $ 1,000 plus R $ 1,500 (value is half of the difference between R $ 4,000 and R $ 1,000).

The active servers Education will be paid with funds from the Fund for the Development of Basic Education (Fundeb), which, according to the state government, can be allocated only to the active server.

It is not the first time that the State of Rio delays the payment of the servers. In April it decided to postpone to May the payment of salaries of March of the pensioners and servers. In the lawsuit filed by the Ombudsman, the Court of Rio de Janeiro (TJ-RJ) blocked R $ 649 million of state bank accounts to settle the payment.

The salaries were paid, but the government appealed to the Supreme Court (STF), alleging that the funds deposited in the accounts came from financing for investment and could not, by law, be used to pay the payroll.

domingo, 12 de junho de 2016

1º SEMINARIO DINÂMICA DE MARKETING ESPORTIVO - KORFEBOL BRASILEIRO APOIANDO




O Rio de Janeiro é a bola da vez no cenário mundial do esporte, o esporte educa, envolve e agrega.

Os Jogos Olímpicos farão com que cada vez mais o esporte no Brasil tenha profissionais qualificados para gerirem entidades, clubes, equipes e projetos esportivos. E por isso que a Dinâmica Empreendimentos Educacionais e Esportivos a FIJ – Faculdades Integradas de Jacarepaguá, trazem para a cidade mais icônica do Brasil, o 1º Seminário Dinâmica de Marketing Esportivo.

Neste momento de grandes transformações estruturais, sociais e culturais no Brasil, este seminário apresenta ideias e ideais para o esporte com o objetivo de divulgar, disseminar e divulgar boas experiências tendo o esporte como mola de propulsão de transformação social.

O 1º Seminário Dinâmica de Marketing Esportivo apresentará temas como esporte como negócio, como formador de cidadãos, como processo histórico e como elemento de desenvolvimento da sociedade.

O 1º Seminário Dinâmica de Marketing Esportivo terá como palestrantes experientes e importantes profissionais com vivência e atuação no meio esportivo que pretendem trazer temas que possam trazer modelos e reflexões para o futuro esportivo nacional.

Os palestrantes são....

MARCELO KIELING - “Marketing, Negócios Do Esporte E Relações Do Mercado”.

Jornalista, Publicitário, Bacharel em Ciências Contábeis, com especializações e Pós graduação em Marketing Estratégico e administração. Foi superintendente de Marketing e circulação da EJESA, respondendo pelos jornais, O Dia, Meia Hora, Brasil Econômico e Marca, implementou o Diário LANCE, sendo responsável por promoções e circulação. Criou Projetos para Fluminense, São Cristóvão entre outros. Participou da criação do Marketing Esportivo FGV

WAGNER COE – “Esporte Como ferramenta Pública de Socialização e Desenvolvimento, A importância do Esporte para a Gestão Pública e a Relevância do Esporte na formação da Juventude”.

Professor Universitário, Sub Secretário de Esportes do Município do Rio de Janeiro, Advogado, foi Diretor Técnico da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (SMEL), Presidente do Clube da Light, Presidente da Federação de Vôlei Master do Rio de Janeiro.

FABIO TUBINO – “Os Jogos Olímpicos no Brasil. A importância para o esporte e seu legado Social”.

Jornalista e Professor, Mestre em História, memória social e documento pela Uni Rio, Pós graduação em marketing e Administração Esportiva e Gestão de Eventos. Autor do Dicionário Tubino do Esporte.

JOSÉ PAULO NEVES – “Marketing Pessoal na Educação Física”.

Profissional de Educação Física, Diretor e Conselheiro do Conselho Regional de Educação Física do Rio de Janeiro, Membro da Câmara Técnica de Educação Física Escolar, Mestre em Ciências da Motricidade Humana, Professor da Rede Estadual e Municipal do Rio de Janeiro, Pós Graduado em Gestão e Marketing, Gestão de Projetos e Mestre em Ciências da Motricidade Humana.

Será realizado na FIJ – Faculdades Integradas de Jacarepaguá - :

Endereço: Ladeira da Freguesia, 196 - Freguesia - Jacarepaguá / RJ

Dia 02/07/2016 – Sábado – das 9 às 17h.

Investimento:

R$ 250,00

Material Didático (Digital) incluído no preço do Curso.

Apostila

Certificado de participação (enviado por email após participação no Curso)

Maiores informações: marcelo@dinamicaempreendimentos.com.br

Tel (21) 983157072 – Marcelo Soares




The Rio de Janeiro is the flavor of the month in the global sports scene, the sport educates, engages and aggregates.

The Olympics will make more and more sports in Brazil has qualified professionals to manage organizations, clubs, teams and sports projects. And why Dynamic Educational and Sports Ventures the IFJ - International College of Jacarepagua, bring the most iconic city in Brazil, the 1st Sports Marketing Dynamics Seminar.

In this time of great structural, social and cultural transformations in Brazil, this seminar presents ideas and ideals for the sport in order to disclose, disseminate and publicize good experiences with sport as spring propulsion social transformation.

The 1st Sports Marketing Dynamics Seminar will present topics such as sport as a business, as a trainer of citizens, as a historical process and how development element of society.
The 1st Sports Marketing Dynamics Seminar will have the experienced and professional keynote speakers with experience and performance in sports who wish to bring issues that can bring models and reflections to the national sporting future.

The speakers are ....
MARCELO Kieling - "Marketing, Business Sport and Market Relations."
Journalist, Advertiser, Bachelor of Science in Accounting, with specialization and MBA in Strategic Management and Marketing. Was superintendent of Marketing and circulation EJESA answering the newspapers, The Day, Half Time, economic and Brazil Brand, implemented the Daily LANCE, responsible for promotions and circulation. Projects created for Fluminense, Saint Kitts and others. He participated in the creation of the Sports Marketing FGV

WAGNER COE - "Sports as a Public tool Socialization and Development, The Importance of Sports for Public Management and Relevance of Sport in the formation of Youth".
University Professor, Sub Secretary of Sports of the City of Rio de Janeiro, Lawyer, was Technical Director of the Municipal Sports and Leisure (SMEL), Club President of Light, President of Master Volleyball Federation of Rio de Janeiro.

FABIO TUBINO - "The Olympic Games in Brazil. The importance for the sport and its social legacy. "
Journalist and Professor, Master in history, social memory and document the Union River, Masters Degree in Marketing and Sports Management and Event Management. Author's Dictionary Tubino Sport.

JOSÉ PAULO NEVES - "Personal Marketing in Physical Education."
Professional Physical Education, Director and Board Member of the Regional Council of Physical Education of Rio de Janeiro, Member of Physical Education Technical Chamber, Master of Science in Human Kinetics, Professor of State Network and City of Rio de Janeiro, Post Graduate in Management and Marketing, Project and Master of Science in Human Kinetics Management.
It will be held at IFJ - International College of Jacarepagua -:

Day 02/07/2016 - Saturday - from 9 to 17h.

Investment:

R $ 250,00

Handouts (Digital) included in the course.
Handout
Participation certificate (sent by email after participation in the course)

More information: marcelo@dinamicaempreendimentos.com.br
Tel (21) 983 157 072 - Marcelo Soares

terça-feira, 7 de junho de 2016

Ministério Publico investigando denúncias de Corrupção nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro


 Do G1 Rio

O procurador da República Fernando Aguiar, do Ministério Público Federal, chamou de "afronta" a iniciativa do consórcio formado pelas empresas Queiroz Galvão e OAS de dar início às obras do Complexo de Deodoro, na Zona Oeste, antes da assinatura do contrato com a prefeitura carioca. O empreendimento, um dos maiores para a realização dos Jogos Olímpicos de 2016, foi alvo, nesta segunda-feira (7), de operação de órgãos federais para apurar indícios de fraude milionária na construção.


"É muito grave. Não é usual. É uma afronta das normas básicas de direito administrativo. A obra teve inicio em junho, de 2014, e o contrato só foi assinado mais de dois meses depois. Portanto, nesse lastro, muita coisa só foi feita sem fiscalização nenhuma porque os fiscais da prefeitura só foram nomeados depois da assinatura do contrato. Esse tipo de situação leva a todo tipo de desmando", criticou Aguiar, em entrevista à GloboNews.

As investigações, de acordo com o procurador, já indicam que a fraude pode representar um prejuízo de mais de R$ 128 milhões. A quantia está bloqueada na Caixa Econômica Federal e, portanto, impedida de ser repassada ao consórcio.

"Essa investigação toda começou a partir de uma deficiência de projeto áasico, detectada no acordao do TCU [Tribunal de Contas da União], o que levou a CGU [Controladoria Geral da União] a investigar a execução da obra. Ao se deparar com a contabilidade da obra, os dois primeiros itens que chamaram atenção foram os itens de transporte e descarte de resíduos da construção civil, os aterros. Os dois, somados, alcançavam um valor significativo de R$ 85 milhões. Isso representava bem mais de 10% do valor inicial do contrato, que era de R$ 640 milhões. Isso chamou a atençao dos engenheiros da CGU, porque esse valor não era comum", explicou o procurador da República.

OLIMPÍADAS RIO 2016

Cidade se prepara para receber os Jogos

Ainda segundo ele, durante as primeiras diligências de campo, os técnicos solicitaram a documentação da obra e se depararam com uma série de documentos falsificados. Aguiar conta que só de guias de transporte foram milhares de documentos falsos que serviam para fazer o registro de um transporte de resíduos que, de acordo com o procurador, "nem existiu ou, se existiu, foi numa proporção muito menor do que está sendo pago pela União".

Mandados cumpridos
Durante a operação, batizada de Bota-Fora, os policiais federais cumpriram cinco mandados de busca e apreensão em endereços vinculados ao consórcio responsável pela construção do complexo esportivo, a duas empresas que teriam prestado serviços relacionados à obra, e a uma bióloga que, segundo indícios, teria sido responsável pela confecção de manifestos de resíduos falsificados.

De acordo com a Polícia Federal, foi apreendida uma grande quantidade de documentos, além de computadores, notebooks e aparelhos celulares. A invetigação indica que as fraudes no transporte e na destinação dos residuos sólidos, com falsificação de documentos públicos e a oneração de serviços, teriam sido executadas pela principal empresa integrante do consórcio responsável pelas obras, com a participação das outras duas empresas citadas.

O acréscimo no custo da obra, segundo informações já obtidas pela PF, pode ter sido causado pela alteração do trajeto realizado pelos caminhões, que teriam utilizado rotas não previstas em contrato, pela escolha de um intermediário para o pagamento do serviço de destinação (ao invés da contratação direta do aterro que receberia os resíduos) e pela possibilidade de os serviços sequer terem sido executados conforme cálculo apresentado pelo Consórcio.

Ao todo, trinta e nove oitivas já foram realizadas pela PF desde a instauração do inquérito policial. As investigações vão continuar, informou a polícia.

A operação
A Polícia Federal cumpre oito mandados de busca e apreensão, na manhã desta terça-feira (7), sobre um inquérito que apura indícios de fraude milionária nas obras do Complexo de Deodoro, uma das principais obras olímpicas do Rio. A operação Bota-fora, em conjunto com a Polícia Federal, Ministério Público Federal e Receita Federal apontam que os prejuízos na construção do complexo podem chegar a R$ 85 milhões aos cofres públicos.

As buscas acontecem na sede do consórcio, formado pelas empreiteiras Queiroz Galvão e OAS. Em março, a Justiça já bloqueou R$ 128 milhões que deveriam ser pagos ao grupo.

Os indícios de irregularidade se referem a contratos de transporte e descarte de entulho. Uma empresa "laranja" simularia o transporte e a disposição do material, cujos gastos dobraram em relação ao previsto — de R$ 80 milhões para R$ 147 milhões.

O entulho, que tem alto valor de mercado, pode ter sido utilizado em outros empreendimentos, segundo a investigação.

Documentos obtidos pela GloboNews mostram que 13 motoristas dizem jamais ter trabalhado na obra, embora seus nomes apareçam nos contratos.

Outros ofícios sequer teriam assinaturas. Agentes da PF estão à procura de computadores, HDs, telefones e extratos bancários. A operação começou por volta de 10h15, contando com funcionários da Controladoria Geral da União (CGU) e foi autorizada pela Justiça Federal.

Em nota, o consórcio responsável pelas obras, formado pelas empresas Queiroz Galvão e OAS disse que já prestou esclarecimentos às autoridades competentes e que a alteração de custo se deve ao acréscimo de material transportado, que não estava previsto no contrato. O Comitê Rio 2016 informou que não vai se manifestar.

Segundo o Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle, a operação "objetiva desarticular uma ação criminosa que resulta em desvio de recursos públicos nas obras do Complexo Esportivo Deodoro".

Foram detectados, segundo a pasta, "indícios de falsificação nos registros dos volumes de resíduos das obras de construção civil, que são transportados do local das obras e, depois, depositados em um bota-fora no município de Duque de Caxias/RJ".Works in Deodoro started before signing the contract. Federal Police served search warrants.
The prosecutor Fernando Aguiar Republic, the Federal Public Ministry, called "insult" the consortium's initiative formed by Queiroz Galvão and OAS to initiate the works of the Deodoro Complex in West Zone, before signing the contract with the city From Rio. The project, one of the largest for the Olympic Games in 2016, was targeted on Monday (7), of operating federal agencies to determine millionaire evidence of fraud in the construction.

"It's very serious. It is not usual. It is an affront to the basic rules of administrative law. The work began in June 2014 and the contract was not signed until more than two months later. Therefore, this ballast, a lot has only done without supervision because no tax the city were only named after the contract is signed. This kind of situation leads to all sorts of excesses, "criticized Aguiar, told GloboNews.

The investigations, according to the prosecutor, already indicate that fraud may represent a loss of more than R $ 128 million. The amount is blocked in the Caixa Economica Federal and thus prevented from being transferred to the consortium.

"This whole investigation started from a áasico design flaw detected in the judgment of TCU [Court of Auditors of the Union], which led to CGU [Comptroller General of the Union] to investigate the performance of the work. When facing the accounting work, the first two items that drew attention were the transport items and waste disposal construction, landfills. The two, together, reached a significant amount of R $ 85 million. This represented well over 10% of the initial value of the contract, which was R $ 640 million. This caught the attention of the CGU engineers, because this value was not common, "said the prosecutor.

OLYMPICS RIO 2016

City prepares to host the Games
Also according to him, during the first field of inquiry, requested the technical documentation of the work and faced with a series of forged documents. Aguiar says that only transport guides were thousands of false documents which served to register a waste transportation, according to the prosecutor, "nor was or if there was a much smaller proportion than is being paid the Union. "

warrants met
During the operation, called Boot-Off, the federal police have met five search warrants at addresses linked to the consortium responsible for building the sports complex, the two companies have provided services related work, and a biologist who, according evidence, would have been responsible for making counterfeit waste manifests.

According to the federal police, a large number of documents were seized, as well as computers, laptops and mobile devices. The invetigação indicates that fraud in the transport and disposal of solid waste, with falsification of public documents and encumbrance services have been performed by the main company of the consortium responsible for the works, with the participation of two other companies mentioned.

The increase in the cost of the work, according to information already obtained by the PF, may have been caused by changing the path taken by trucks, which would have used routes not provided for in the contract, by choosing an intermediary for the payment of the destination service (instead direct contracting of the landfill would receive waste) and the possibility of the services even have been executed as calculation presented by the Consortium.

In all, thirty-nine hearings have been held by the feds since the establishment of the police investigation. Investigations will continue, police said.

The operation
The Federal Police meets eight search warrants, early on Tuesday (7) on an investigation that clears evidence millionaire fraud in the works of Deodoro Complex, a major Olympic works of Rio. The Boot-off operation together with the Federal Police, Federal public Ministry and Internal Revenue Service show that the losses in the construction of the complex may reach R $ 85 million to public coffers.

Searches take place in the headquarters of the consortium formed by construction companies Queiroz Galvão and OAS. In March, the court already blocked R $ 128 million that would be paid to the group.

The indications of irregularities relate to transport and dump disposal contracts. A company "orange" simulate the transport and disposal of the material, whose spending doubled compared to the expected - R $ 80 million to R $ 147 million.

The debris, which has high market value, may have been used in other projects, according to research.

Documents obtained by GloboNews show that 13 drivers say they never have worked in the work, even though their names appear in the contracts.

Other offices would even signatures. PF agents are looking for computers, hard drives, phones and bank statements. The operation started around 10:15, with the Comptroller General of the officials of the Union (CGU) and was authorized by the Federal Court.

In a statement, the consortium responsible for the works, formed by Queiroz Galvão and OAS said it has provided clarifications to the competent authorities and the change cost is due to increased material transported, which was not foreseen in the contract. The Rio 2016 committee said it would not manifest.

According to the Ministry of Transparency, Supervision and Control, the operation "aims to dismantle a criminal action that results in diversion of public funds in the works of the Deodoro Sports Complex."

They were detected, according to the folder, "falsification of evidence in the records of the waste volume of construction works, which are transported from the construction site and then deposited in a send-off in the city of Duque de Caxias / RJ."
Google Tradutor para empresas:Google Toolkit de tradução para appsTradutor de sites


Imagem aérea mostra pista no Complexo Esportivo de Deodoro (Foto: Ricardo Moraes/Reuters)

segunda-feira, 6 de junho de 2016

rethinking volunteer trip to Rio-16 and cause concern to the Organizing Committee

Tulio Vidal/Rio 2016


The high price charged by hotels, hostels, hostels and pensions in Rio de Janeiro have scared the selected volunteers for the Olympic Games. And two months before the start of the event, many of them have given up or talk about quitting the job if you do not find more economical options or even free hosting.

This has been the main complaint of people living outside of Rio. The residents of other cities and countries represent 54% of the total of 50 000 volunteers selected. There are about 28,000 people who need a place to stay.

The UOL Esporte had access to a email (see below) sent by a committee of the person to some volunteers giving lodging options. An apartment for four people, for example, went for $ 1000 per day.

"I volunteered for the Games because I'm just graduated in Physical Education and thought it would be a great opportunity to enrich the curriculum. I was selected for the Deodoro Complex that is out of the way of everything. I went back to the hostel and here comes the problem. the prices are inflated. Daily R $ 50 are going for $ 200 and at least I would have to stay in Rio two periods of 15 days to the Olympics and Paralympics. That is, the bill goes to more than R $ 5000, which made it an unviable investment. I have sent an email giving up participation, "he told UOL Esporte commercial representative Caio Lissoni.

"It is very difficult for a person to bear the transport costs, all these days without work and also the high cost of hosting. If I do not find a very local account or someone, some carioca family to adopt me, certainly will not. I have talked with other volunteers and many are with this idea of ​​giving up they do not find anything, "said Maico Cabestre, who is a massage therapist and was chosen to work in the medical field

Claims above exemplify the difficulty experienced by many of the volunteers which the Rio-16 Committee is already aware. Even in view of this problem, the agency this week launched the platform "My place in Rio." In it, any resident of Rio de Janeiro can sign up and provide a hosting location, becoming host. The collection day will be in charge of each. The Committee hopes that this will help to overcome or at least reduce the number of dropouts.

"We know this scenario (difficulties of volunteers get hosting) and it is a concern. We had been watching for some time and so we decided to launch this tool that also offers some hotels that are cheaper. This question of Rio residents receive people elsewhere worked very well in the World Youth Jornda 2013, "said Flavia Fontes, general manager of volunteers.

"We know that there may be people who give up, but we are trying to create alternatives. We also have volunteers in our waiting list if there are these dropouts," added Flavia.

The Committee says it has received about 300 thousand entries and have selected 80,000 volunteers. As 50 000 will be used, there are still 30 thousand spare.

In social networking groups, volunteers suggest that the Committee make available public schools and universities so that they host. But logistics is a complicating factor.

"Although schools are on vacation, our volume of people is very large and would need to make several interventions in their structure. We would not have time for that. But we're working with some scout groups and parishes," he added.
Volunteers have other unknowns

The difficulty with hosting is not only faced by volunteers. Several follow without receiving the invitation letters and work schedule to be able to organize the trip to Rio.

"The scales did not go, did not pass anything and urgently need it to set me at work and see the hotel values," said the voluntary Bartira Fonseca Pompey, who lives in São Paulo.

"I live in São Paulo and have to make hotel reservation and ticket, but only be able to do it to know when and where I will act. There is also the fact that I need to ask for time off work and can not do one week before. A lot of people who have given up and others are about to do the same, "complained Marcelo Barroso.

Asked about this, the general manager of volunteers said that all selected will have the letter and scale. But he said it was impossible to set a date for this, because work schedules are determined for each area of ​​each installation.

What is certain is that each volunteer will work nine hours per day, entitled to a lunch. The Committee, and even provides power during the working day and transportation to the arenas. Volunteers also have 15% discount right in the value of areas tickets purchased to fly by LATAM, official partner of the Games.




Tulio Vidal/Rio 2016
 
Candidatos a voluntários do Rio 2016 passam por treinamento em SPimagem: Tulio Vidal/Rio 2016.


Fábio Aleixo

Do UOL, em São Paulo


O alto preço praticado por hotéis, albergues, pousadas e pensões no Rio de Janeiro têm assustado os voluntários selecionados para os Jogos Olímpicos. E a dois meses do início do evento, vários deles já desistiram ou falam em desistir do trabalho caso não encontrem opções mais econômicas ou até mesmo gratuitas de hospedagem.

Esta tem sido a principal queixa das pessoas que vivem fora do Rio. Os moradores de outras cidades e países representam 54% do total dos 50 mil voluntários selecionados. São cerca de 28 mil pessoas que precisarão de um lugar para ficar.

O UOL Esporte teve acesso a um-email (veja mais abaixo) enviado por uma pessoa do Comitê a alguns voluntários dando opções de hospedagem. Um apartamento para quatro pessoas, por exemplo, saía por R$ 1 mil por dia.

"Eu me voluntariei para os Jogos pois sou recém-formado em Educação Física e achei que seria uma ótima oportunidade para enriquecer o currículo. Fui selecionado para o Complexo de Deodoro que é fora de mão de tudo. Fui atrás de albergue e aí vem o problema. Os preços estão inflacionados. Diárias de R$ 50 estão saindo por R$ 200 e, no mínimo, eu teria de ficar no Rio dois períodos de 15 dias para Olimpíada e Paraolimpíada. Ou seja, a conta vai pra mais de R$ 5 mil, o que tornou um investimento inviável. Já enviei um e-mail desistindo da participação", afirmou ao UOL Esporte o representante comercial Caio Lissoni.

"É muito difícil para uma pessoa arcar com as despesas de transporte, todos esses dias sem trabalhar e ainda o custo altíssimo de hospedagem. Se eu não achar um local muito em conta ou alguém, alguma família carioca que me adote, certamente não irei. Tenho conversado com outros voluntários e muitos estão com esta ideia de desistir se não acharem nada", disse Maico Cabestre, que é massoterapeuta e foi escolhido para trabalhar na área médica



As reclamações acima exemplificam a dificuldade vivida por muitos dos voluntários da qual o Comitê Rio-16 já está ciente. Até mesmo em virtude deste problema, o órgão lançou nesta semana a plataforma "Meu Lugar no Rio". Nela, qualquer morador do Rio de Janeiro pode se inscrever e disponibilizar um local de hospedagem, tornando-se anfitrião. A cobrança de diária ficará a cargo de cada um. O Comitê espera que isso ajude a superar ou ao menos diminuir o número de desistências.

"Sabemos deste cenário (dificuldades dos voluntários em conseguirem hospedagem) e é uma preocupação. Já vínhamos observando há algum tempo e por isso decidimos lançar esta ferramenta que também oferece alguns hotéis e pousadas que são mais baratos. Esta questão de moradores do Rio receberem pessoas de outros lugares funcionou muito bem na Jornda Mundial da Juventude de 2013", explicou Flavia Fontes, gerente-geral de voluntários.

"Sabemos que pode haver pessoas que desistam, mas estamos tentando criar alternativas. Também temos voluntários na nossa lista de espera caso haja estas desistências", completou Flavia.

O Comitê diz ter recebido cerca de 300 mil inscrições e ter selecionado 80 mil voluntários. Como 50 mil serão usados, há ainda uma sobra de 30 mil.

Em grupos de redes sociais, voluntários sugerem que o Comitê disponibilize escolas e universidades públicas para que eles se hospedem. Mas a logística é um complicador.

"Apesar de as escolas estarem em férias, o nosso volume de pessoas é muito grande e precisaríamos fazer diversas intervenções na estrutura delas. Não teríamos tempo hábil para isso. Mas estamos trabalhando com alguns grupos de escoteiros e paróquias", completou.
Voluntários têm outras indefinições

A dificuldade com hospedagem não é a única enfrentada pelos voluntários. Diversos seguem sem receber as cartas-convites e a escala de trabalho para poderem organizar a viagem ao Rio.

"As escalas não saíram, não passaram nada e preciso urgentemente disso para me programar no serviço e ver os valores de hotéis", disse a voluntária Bartira Fonseca Pompeu, que vive em São Paulo.

"Moro em São Paulo e tenho que fazer reserva de hotel e passagem, mas só conseguirei fazer isso ao saber quando e onde irei atuar. Existe também o fato de que preciso pedir dispensa do trabalho e não posso fazer 1 semana antes. Tem muita gente que já desistiu e outras estão em vias de fazer o mesmo", reclamou Marcelo Barroso.

Questionada sobre isso, a gerente-geral de voluntários afirmou que todos os selecionados terão a carta e a escala. Porém afirmou ser impossível fixar uma data para isso, pois os horários de trabalho são determinados por cada área de cada instalação.

O que é certo é que cada voluntário trabalhará nove horas por dias, com direito a uma de almoço. O Comitê, além de uniforme fornece alimentação durante a jornada de trabalho e transporte até as arenas. Os voluntários também têm direito a desconto de 15% no valor das passagens áreas adquiridas para voar pela LATAM, parceira oficial dos Jogos.

sábado, 4 de junho de 2016

KORFEBOL BRASILEIRO NO DIA DESAFIO EM SÃO PAULO - RIO GRANDE DA SERRA SP


Estivemos participando do DIA DESAFIO em Rio Grande da Serra - São Paulo, com KORFEBOL BRASILEIRO, cerca de 100 pessoas tiveram acesso ao KORFEBOL BRASILEIRO, inclusive famílias que puderam conhecer as diversas formas de se jogar KORFEBOL.






O dia 25 de maio foi o Dia do Desafio 2016! A 22ª edição do foi uma ação para a campanha Move Brasil e mobilizou milhões de pessoas em 20 países nas três Américas. Este ano, participam da competição 3.360 cidades, que mobilizaram seus cidadãos a praticar atividades físicas e esportivas de diversas modalidades.
 
 O que é o Dia do Desafio?

O Dia do Desafio é uma campanha mundial de promoção da saúde e bem-estar. Seu objetivo é quebrar a rotina sedentária e estimular a população a praticar qualquer atividade física por, pelo menos, 15 minutos consecutivos.
O evento ocorre sempre na última quarta-feira do mês de maio, da 0h às 21h, e conta com a participação de milhares de cidades do mundo inteiro.

Como surgiu?
O evento foi idealizado em 1984 pela ParticipAction, entidade esportiva canadense, e difundido mundialmente pela Trim & Fitness International Sport for All Association (TAFISA), de origem alemã. O Brasil participa da ação desde 1995.

Quem promove?

As prefeituras municipais, por meio da articulação de suas Secretarias de Esporte, Educação e Saúde com órgãos municipais, associações, conselhos, sindicatos, federações, instituições, grupos de voluntários, academias, clubes, empresas, faculdades, escolas e a população.

sábado, 28 de maio de 2016

IMPRENSA AMERICANA CHAMA DE 'ESGOTO' AS ÁGUAS DO RIO E PEDE PROVAS EM OUTRO PAÍS


The New York Times critica poluição na Baía da Guanabara e temendo pela saúde dos atletas pede provas em outro país.



“Atletas não deveriam ter que nadar em meio ao esgoto para perseguir seus sonhos olímpicos. Algo precisa ser feito para protegê-los” Esta foi a afirmação feita pela ex-nadadora, Lyne Coxx, em artigo publicado nesta sexta-feira, dia 6, pelo jornal Americano The New York Times. A ex-competidora fez duras críticas ao alto grau de poluição das águas da Baía de Guanabara, um dos locais que servirão de palco para as muitas provas aquáticas que irão fazer parte dos Jogos Olímpicos de 2016, noRio de Janeiro.

Lyne Coxx já foi nadadora de provas de longas distâncias, antes mesmo deste tipo de competição entrar para o rol das provas que fazem parte das Olimpíadas. No artigo escrito pela ex-atleta, fica clara a sua preocupação com os competidores que irão que disputar provas tanto na Baía da Guanabara, quanto nas águas da praia de Copacabana. De acordo com a mesma, qualquer atleta, seja nadador de maratonas, triatletas e velejadores correm o sério risco de adoecerem, caso entrem em contato com as águas deste locais.

Coxx afirmou que todo o esgoto da região metropolitana do Rio desemboca em plena Baía e daí, vai direto para as águas de Copacabana. Ele afirma que a quantidade de dejetos eliminada diariamente daria para encher cerca de 480 piscinas de porte olímpico.
De acordo com o jornal americano, um especialista da Universidade Feevale, o professor Fernando Spilki foi contratado para analisar as condições das águas destes locais. Após os testes, ficou comprovado que a quantidade de coliformes fecais presentes nestas áreas era extremamente alta, o que muito provavelmente poderia contaminar a quem entrasse em contato com as mesmas.

A atleta também faz críticas ao Comitê Olímpico Internacional e cobra medidas urgentes por parte de seu presidente, Thomas Bach, para que as provas possam ser transferidas para locais que ofereçam mais segurança para a saúde dos atletas, além de condições mais justas.

A ex-competidora alerta para o fato de que, competir em locais como a Baía da Guanabara, poderá pôr tudo a perder para muitos atletas que se prepararam quase uma vida inteira para competirem nos Jogos Olímpicos. “Os eventos aquáticos precisam ser transferidos para águas limpas – e isso não pode ser encontrado no Brasil, então eles precisarão transferir para outro país", afirmou Coxx, embora não haja nenhum precedente em Olimpíadas de que competições possam ser disputadas em dois países diferentes.

Coxx chama a atenção para o fato de que, a menos de cem dias para o início do evento, a organização do evento poderá sair prejudicada em virtude da atual crise política que abala o país, com o trâmite do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Isto pode atrapalhar os planos do governo em entregar " os jogos verdes por um planeta azul".
 
 The New York Times criticizes pollution in Guanabara Bay and fearing for the health of athletes asks evidence in another country.


"Athletes should not have to swim through the sewer to pursue their Olympic dreams. Something must be done to protect them, "This was the statement made by a former competitive swimmer, Lyne Coxx, in an article published on Friday, the 6th, the American newspaper The New York Times. A former competitor has heavily criticized the high degree of pollution of the waters of Guanabara Bay, one of the sites that will serve as a stage for many aquatic events that will be part of the Olympic Games in 2016, Norio January.

Lyne Coxx has been swimming for long distances evidence before this kind of competition to join the list of the tests that are part of the Olympics. In the article written by the former athlete, is a clear concern with competitors who will compete evidence that both the Guanabara Bay, as the Copacabana beach waters. According to it, any athlete, is marathon swimmer, triathletes and sailors are at serious risk of becoming ill, if they come into contact with the waters of this local.

Coxx said that all sewage from the metropolitan region of Rio opens in full Bay and then goes straight to the Copacabana waters. He states that the amount of waste discarded daily would fill about 480 Olympic-sized pools.
According to the American Journal, an expert at the University Feevale, Professor Fernando Spilki was hired to analyze the conditions of the waters these sites. After testing, it was proven that the amount of fecal coliforms present in these areas was extremely high, which could very likely contaminate those who come into contact with them.

The athlete also criticizes the International Olympic Committee and demands urgent action by its president, Thomas Bach, so that the evidence can be transferred to places that offer more security to the health of athletes, and more fair.

A former competitor alert to the fact that compete in places like the Bay of Guanabara, you can put everything away for many athletes who have prepared almost a lifetime to compete in the Olympics. "The aquatic events need to be transferred to clean water - and this can not be found in Brazil, so they will need to transfer to another country," Coxx said, though there is no precedent in the Olympics that competitions can be played in two different countries.

Coxx draws attention to the fact that less than a hundred days to the start of the event, the organization of the event may leave impaired due to the current political crisis that shakes the country, with the processing of the impeachment of President Dilma Rousseff . This can disrupt the government's plans to deliver "green games by a blue planet."

quarta-feira, 25 de maio de 2016

DIA DESAFIO - KORFEBOL BRASILEIRO PARTICIPANDO 2016



Dia do Desafio vem aí!
Participe da disputa mundial em que todos ganham em saúde


O desafio está lançado! Em 25 de maio será realizada a 22ª edição da competição mundial que promove a prática de atividades físicas em benefício da saúde e bem-estar: é o Dia do Desafio! Nele, o público de todas as idades se envolve em uma competição amigável entre os municípios do mesmo porte, participando de atividades variadas como caminhada, corrida, pedalada, dança ou atividades recreativas, para ver quem mobiliza a maior porcentagem de habitantes na luta contra a inatividade.

Em 2016, a ação recebeu mais três mil cidades inscritas, num total de 20 países. No Brasil, são 1.866 municípios, totalizando a adesão de 20 Estados. Ao redor da América Latina, países como México, Guatemala, Cuba e Venezuela também irão participar. Este ano, Pernambuco mobiliza o evento contando com 25 cidades do Estado enfrentando cidades do Brasil e outros países. A realização do evento é de responsabilidade das Prefeituras e as ações são desenvolvidas pelas Secretarias Municipais de Esporte, Educação e Saúde.

Participe, ganhe em saúde e ajude sua cidade a vencer! Vale caminhar, pedalar, alongar, correr, além dos jogos coletivos, como futebol, gincanas, vôlei, basquete e handebol. No grande dia, uma central telefônica estará funcionando, ininterruptamente, das 0h às 21h, através do número 0800 321 1688, captando os registros de pessoas, grupos, associações, empresas e escolas. As unidades do Sesc estarão a postos com uma programação especial em vários pontos das cidades, incentivando a mobilização da população e contabilizando os praticantes das atividades físicas e esportivas.

O resultado da competição sai em dois dias e ganha a cidade que conseguir o maior percentual de participação, em relação ao número de habitantes, em pelo menos 15 minutos, de uma atividade física ou esportiva. Entretanto, os grandes vencedores são os praticantes, que incluem em suas rotinas hábitos mais saudáveis, além da integração social. Desde 2013, o Dia do Desafio tornou-se uma das ações da campanha MOVE Brasil que pretende ampliar o número de praticantes de esportes e atividades físicas no país.










domingo, 22 de maio de 2016

KORFEBOL BRASILEIRO EM SÃO PAULO - SÃO BERNARDO DO CAMPO


O Korfebol brasileiro esteve se apresentando novamente em São Paulo, em São Bernardo do Campo, na Praça da Matriz. Cerca de 100 pessoas, entre jovens adultos e crianças tiveram acesso as diversas formas de se jogar o Korfebol Brasileiro.

No Brasil, temos diversas formas de se jogar o KORFEBOL, não utilizamos as "regras oficiais" adotadas por PORTUGAL (Federaação Portuguesa de Corfebol" ou da IKF (International Korfball Federation). Queremos adotar o esporte cooperativo. Não usamos a competição como o fator de motivação em nosso trabalho. E esse jeito diferente de se trabalhar com o esporte, vem dando certo no Brasil. Aqui não formamos "atletas". aqui todos tem a possibilidade de jogar o KORFEBOL BRASILEIRO.







quinta-feira, 19 de maio de 2016

JORNALISTAS ESTRANGEIROS DETONAM A FALTA DE SEGURANÇA NO BRASIL




Criminalidade em alta e falta de preparo da segurança nacional faz Olimpíadas Rio 2016 repercutirem entre estrangeiros.Homens (sem camisa) fogem após tentativa de assalto no Rio Homens (sem camisa) fogem após tentativa de assalto no Rio PUBLICIDADE


Faltam menos de noventa dias para o início dos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, e a imprensa estrangeira já começa a repercutir, no exterior, os problemas que encontram na cidade-sede desta que é a maior competição do mundo quando o assunto é esportes.

Diversos países mandaram jornalistas para cobrir os preparativos que antecedem as Olimpíadas no Brasil, e, claro, para fazer a cobertura do evento, que acontece entre 5 e 21 de agosto. Entrevistada por agências de notícias, a imprensa estrangeira fez fortes revelações sobre o temor dos repórteres frente à atual situação do Rio do Janeiro, e à falta de segurança no Brasil. A jornalista chinesa, Yang Tanli, da Televisão Central da China, contou que turistas chineses decidiram não vir ao país com medo da grande onda de assaltos que repercute nos noticiários de lá, por exemplo.

O jornalista americano, Brad Brooks, da Agência Reuters, contou que seus colegas de profissão temem algo mais grave que os assaltos, como os ataques terroristas. Para os americanos, fica claro, através dos noticiários, que se o Brasil não está preparado para combater pequenos ataques violentos, como roubos e furtos, ou até assassinatos provenientes desses crimes, um evento de grande porte como as Olimpíadas Rio 2016 seria um campo aberto para um ataque terrorista, diante do despreparo da segurança local e nacional.

PUBLICIDADE

Em entrevista ao portal de notícias G1, outro correspondente estrangeiro, dessa vez da TV Pública da Alemanha, Juan Pablo Mondini contou que o maior desafio que o Brasil deve enfrentar nessas Olimpíadas, é a garantia da segurança para os atletas e os turistas que vem ao Rio prestigiar a competição esportiva a nível mundial. Segundo ele, por vezes, é preciso esquecer ou tentar não lembrar do momento conturbado que o mundo tem vivenciado, ultimamente.

Além da insegurança por parte da criminalidade e possíveis ataques terroristas, a imprensa estrangeira também teme o despreparo da segurança pública para conter grandes manifestações, que podem vir a ocorrer durante as Olimpíadas e em proporções maiores do que normalmente já acontece. É o caso da repórter Maria Martin, do El Pais, que destaca o momento em que guardas municipais da cidade do Rio de Janeiro atacaram manifestantes com spray de pimenta, durante um protesto, ao mesmo tempo em que a tocha olímpica chegava no local.

Estará o Brasil preparado para conter a violência e fazer das Olimpíadas Rio 2016 um evento de paz, mudando esta visão que os estrangeiros tem do Rio de Janeiro e do país? Não esqueça de deixar a sua opinião.






JOURNALISTS FOREIGNERS detonate SECURITY FAILURE IN BRAZIL Crime high and lack of preparation of national security makes Olympics 2016 rebounding from estrangeiros.Homens (shirtless) flee after attempted robbery in Rio Men (shirtless) flee after attempted robbery in Rio ADVERTISING
Missing less than ninety days to the start of the 2016 Olympic Games in Rio de Janeiro, and the foreign press has begun to pass on the outside, the problems they encounter in the host city of this which is the greatest competition in the world when it comes it is sports.

Several countries sent reporters to cover the preparations leading up to the Olympics in Brazil, and of course to cover the event, which takes place between 5 and 21 August. Interviewed by news agencies, foreign media has made strong revelations about the fear of facing reporters the current situation of Rio de Janeiro, and the lack of security in Brazil. Chinese journalist Yang Tanli, the China Central Television, said Chinese tourists decided not to come to the country in fear of the great wave of assaults that resonates on the news there, for example.

The American journalist, Brad Brooks, of Reuters, said that his colleagues fear that something more serious assaults, such as terrorist attacks. For Americans, it is clear, through the news, that Brazil is not prepared to fight small violent attacks such as robberies and thefts, or even murder from such crimes, a large event like the Olympics Rio 2016 would be an open field for a terrorist attack on the unpreparedness of local and national security.

ADVERTISING

inRead invented by Teads
In an interview with news portal G1, another foreign correspondent, this time the German Public TV, Juan Pablo Mondini said that the biggest challenge that Brazil must face these Olympics is the guarantee of safety for athletes and tourists coming to Rio prestige sporting competition in the world. According to him, sometimes you need to forget or try not to remember the troubled time that the world has experienced lately.

In addition to insecurity by crime and potential terrorist attacks, foreign media also fears the unpreparedness of public security to hold large demonstrations that can occur during the Olympics and in larger numbers than usually already happens. This is the case of reporter Maria Martin, El Pais, which highlights the time when municipal guards of the city of Rio de Janeiro attacked protesters with pepper spray during a protest at the same time as the Olympic torch arrived on site.

Is the prepared Brazil to contain the violence and to the Olympic Games Rio 2016 a peace event, changing the vision that foreigners have of Rio de Janeiro and the country? Do not forget to leave your opinion.

KORFEBOL BRASILEIRO

KORFEBOL BRASILEIRO
Leia a história do Korfebol brasileiro