terça-feira, 19 de dezembro de 2017

HOMENAGEM DO KORFEBOL BRASILEIRO AO MESTRE MANOEL TUBINO


Homenagem do Korfebol Brasileiro

Há 9 anos atrás perdíamos uma das grandes referências da Educação Física Brasileira. MESTRE MANOEL TUBINO.

Uma das últimas fotos do professor Manoel Tubino foi comigo grande incentivador do Korfebol Brasileiro brasileiro e de meu trabalho, orientou meu T.C.C, me lembro que eu não tinha a literatura suficiente mas ele me ensinou o “caminho” das pedras, conversar com ele já era uma leitura aprofundada de qualquer tema. Ele colocou o verbete Corfebol no dicionário e me incentivou depois a trocar para Korfebol já que faço um trabalho diferenciado do resto do mundo. Saudades do Mestre.
Entender os desígnios divinos sempre foi e sempre será muito difícil para nós seres humanos, principalmente quando perdemos alguém que admiramos, lembranças, lágrimas, passam pelos nossos olhos e fica as saudades e as lembrançasHoje a saudade nos faz mais uma visita, e relembramos do grande Mestre Manoel Tubino mas não tristeza como protagonista. Com os corações mais fortalecidos e saudosos, fica aqui registrado o nosso reconhecimento e agradecimento pelos ensinamentos adquiridos, fonte de inspiração para o KORFEBOL BRASILEIRO e para a profissão de Educador.OBRIGADO “MESTRE TUBINO”




 FONTE: http://www.revistas.usp.br/rbefe/article/viewFile/16721/18434
 
No dia 18 de dezembro de 2008, a Educação Física perdeu um de seus mais respeitados, admirados, influentes e queridos professores. Faleceu o Professor Doutor Manoel José Gomes Tubino. A Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo perdeu, além disso, um dos docentes pioneiros do seu programa de Pós-graduação stricto sensu, cuja participação foi de fundamental importância para o seu desenvolvimento e de inestimável contribuição para o seu crescimento. Diz-se que pessoas realmente competentes são simples; pessoas que se julgam competentes são “sofisticadas”. Simplicidade era a marca registrada do Tubino. E era contagiante, um verdadeiro “atrator” que fazia as pessoas se aglutinarem ao seu redor. A liderança emanava naturalmente desse traço marcante e inconfundível da personalidade e era exercida sem que as pessoas se apercebessem disso. Tubino era uma pessoa institucional. Não olhava para o seu próprio umbigo, não porque fisicamente seria literalmente impossível - abusando do seu senso aguçado de humor - mas porque eram as causas e questões coletivas que o sensibilizavam e moviam. Entregou-se de corpo e alma em todos os desafios que enfrentou. Harmonizava a razão e a emoção. Firme nas suas convicções, mas aberto para o diálogo, críticas e sugestões, sempre com o coração aberto - e que tamanho de coração! As suas atitudes permitiam inferir que viver com alegria era o seu lema e fazer os outros sentirem alegria uma intenção permanente. A Educação Física teve o privilégio de tê-lo na liderança de várias instituições nacionais e internacionais, de projetos e programas que foram decisivos no seu crescimento e consolidação como uma área de conhecimento. Não cabe aqui mencionar suas realizações, pois são de amplo reconhecimento público. Foi sem dúvida, um dos protagonistas do notável crescimento experimentado pela Educação Física brasileira a partir da década de 80, nesse domínio. Como acadêmico e pesquisador foi um pioneiro em várias frentes, especialmente na área de Treinamento Esportivo e Políticas Públicas de Educação Física e Esporte. Como todo pioneiro tinha uma leitura perspicaz das dimensões macroscópicas do futuro - cenários, tendências, desafios, necessidades - o que sempre o colocava passos à frente dos que enxergavam e se preocupavam apenas com as dimensões microscópicas do presente. Pensava longe, alto e grande. 184 • Rev. bras. Educ. Fís. Esporte, São Paulo, v.23, n.2, p.183-84, abr./jun. 2009 Tubino teve uma atuação marcante e singular no delineamento de políticas públicas em Educação Física e Esporte no Brasil. Sua passagem por instituições e órgãos federais responsáveis pelo estabelecimento de normas, princípios e leis que regulam as atividades nessas áreas deixou marcas que se fazem presentes até os dias de hoje. Num terreno historicamente minado por práticas políticas pautadas em interesses particulares, nem sempre nobres, de grupos e instituições específicos, tomou decisões fundamentadas em conhecimentos acadê- mico-científicos com forte componente humanista. Foi um profissional de Educação Física que deixou importantes contribuições em esferas antes não ocupadas por colegas da área. Por todas essas realizações, estou convencido de que o Professor Doutor Manoel José Gomes Tubino já não tinha um currículo, mas uma biografia. E não deixava uma obra, mas um legado. Conversamos sobre isso no nosso último encontro no Congresso de Educação Física e Ciências do Esporte dos Países de Língua Portuguesa, realizado em Porto Alegre. Reitero, nesta oportunidade, com saudade. Foi um imenso prazer conhecer e conviver com uma pessoa tão especial e um privilégio enorme merecer a sua amizade. Muito obrigado, Tubino. Go Tani Diretor da Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo

Postar um comentário