terça-feira, 26 de abril de 2011

KORFEBOL NO JORNAL GLOBO ON LINE 26 DE ABRIL 2011





Esporte surgido na Holanda, o korfebol (corfebol em português), uma modalidade que também tem cestas como o basquete (korf, em holandês, quer dizer cesta), mas permite a participação, ao mesmo tempo, de homens e mulheres, vem tendo como seu maior divulgador no país o professor Marcelo Soares. No corfebol vence a equipe que marcar mais pontos, colocando a bola na cesta, como no Basquete. Cada equipe tem quatro homens e quatro mulheres, divididos em casais. A bola também é de outro esporte: o futebol, modelo número 5.

A dinâmica do jogo exige que cada homem só marque outro homem e cada mulher, outra mulher. No corfebol não é permitida a marcação dois contra um, nem a marcação entre sexos opostos. Também não vale contato físico.

Para que todos exerçam os diversos papéis necessários para o jogo, a cada duas cestas, defensores viram atacantes e vice-versa. Segundo o Profissional Guilherme Borges Pacheco, coordenador de Educação Física da Universidade Gama Filho, esta troca de funções dá ao praticante maior experiência tática e motora. Nessa modalidade, quem recebe a bola deve parar e passá-la para o colega do time. Ninguém pode quicar a bola, driblar o adversário ou correr com a bola na mão. Isso impede que um jogador fominha tente resolver o jogo sozinho, diz Marcelo Soares, criador do site www.korfebol.blogspot.com.

Soares vem buscando apoios para o projeto de promover no Brasil um torneio internacional. A longo prazo, o sonho é ver a seleção brasileira disputando um Mundial da modalidade.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/esportes/mat/2011/04/26/professor-carioca-difunde-no-pais-corfebol-924325375.asp#ixzz1KfhL2IHT
© 1996 - 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.
Postar um comentário