quinta-feira, 19 de maio de 2016

JORNALISTAS ESTRANGEIROS DETONAM A FALTA DE SEGURANÇA NO BRASIL




Criminalidade em alta e falta de preparo da segurança nacional faz Olimpíadas Rio 2016 repercutirem entre estrangeiros.Homens (sem camisa) fogem após tentativa de assalto no Rio Homens (sem camisa) fogem após tentativa de assalto no Rio PUBLICIDADE


Faltam menos de noventa dias para o início dos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, e a imprensa estrangeira já começa a repercutir, no exterior, os problemas que encontram na cidade-sede desta que é a maior competição do mundo quando o assunto é esportes.

Diversos países mandaram jornalistas para cobrir os preparativos que antecedem as Olimpíadas no Brasil, e, claro, para fazer a cobertura do evento, que acontece entre 5 e 21 de agosto. Entrevistada por agências de notícias, a imprensa estrangeira fez fortes revelações sobre o temor dos repórteres frente à atual situação do Rio do Janeiro, e à falta de segurança no Brasil. A jornalista chinesa, Yang Tanli, da Televisão Central da China, contou que turistas chineses decidiram não vir ao país com medo da grande onda de assaltos que repercute nos noticiários de lá, por exemplo.

O jornalista americano, Brad Brooks, da Agência Reuters, contou que seus colegas de profissão temem algo mais grave que os assaltos, como os ataques terroristas. Para os americanos, fica claro, através dos noticiários, que se o Brasil não está preparado para combater pequenos ataques violentos, como roubos e furtos, ou até assassinatos provenientes desses crimes, um evento de grande porte como as Olimpíadas Rio 2016 seria um campo aberto para um ataque terrorista, diante do despreparo da segurança local e nacional.

PUBLICIDADE

Em entrevista ao portal de notícias G1, outro correspondente estrangeiro, dessa vez da TV Pública da Alemanha, Juan Pablo Mondini contou que o maior desafio que o Brasil deve enfrentar nessas Olimpíadas, é a garantia da segurança para os atletas e os turistas que vem ao Rio prestigiar a competição esportiva a nível mundial. Segundo ele, por vezes, é preciso esquecer ou tentar não lembrar do momento conturbado que o mundo tem vivenciado, ultimamente.

Além da insegurança por parte da criminalidade e possíveis ataques terroristas, a imprensa estrangeira também teme o despreparo da segurança pública para conter grandes manifestações, que podem vir a ocorrer durante as Olimpíadas e em proporções maiores do que normalmente já acontece. É o caso da repórter Maria Martin, do El Pais, que destaca o momento em que guardas municipais da cidade do Rio de Janeiro atacaram manifestantes com spray de pimenta, durante um protesto, ao mesmo tempo em que a tocha olímpica chegava no local.

Estará o Brasil preparado para conter a violência e fazer das Olimpíadas Rio 2016 um evento de paz, mudando esta visão que os estrangeiros tem do Rio de Janeiro e do país? Não esqueça de deixar a sua opinião.






JOURNALISTS FOREIGNERS detonate SECURITY FAILURE IN BRAZIL Crime high and lack of preparation of national security makes Olympics 2016 rebounding from estrangeiros.Homens (shirtless) flee after attempted robbery in Rio Men (shirtless) flee after attempted robbery in Rio ADVERTISING
Missing less than ninety days to the start of the 2016 Olympic Games in Rio de Janeiro, and the foreign press has begun to pass on the outside, the problems they encounter in the host city of this which is the greatest competition in the world when it comes it is sports.

Several countries sent reporters to cover the preparations leading up to the Olympics in Brazil, and of course to cover the event, which takes place between 5 and 21 August. Interviewed by news agencies, foreign media has made strong revelations about the fear of facing reporters the current situation of Rio de Janeiro, and the lack of security in Brazil. Chinese journalist Yang Tanli, the China Central Television, said Chinese tourists decided not to come to the country in fear of the great wave of assaults that resonates on the news there, for example.

The American journalist, Brad Brooks, of Reuters, said that his colleagues fear that something more serious assaults, such as terrorist attacks. For Americans, it is clear, through the news, that Brazil is not prepared to fight small violent attacks such as robberies and thefts, or even murder from such crimes, a large event like the Olympics Rio 2016 would be an open field for a terrorist attack on the unpreparedness of local and national security.

ADVERTISING

inRead invented by Teads
In an interview with news portal G1, another foreign correspondent, this time the German Public TV, Juan Pablo Mondini said that the biggest challenge that Brazil must face these Olympics is the guarantee of safety for athletes and tourists coming to Rio prestige sporting competition in the world. According to him, sometimes you need to forget or try not to remember the troubled time that the world has experienced lately.

In addition to insecurity by crime and potential terrorist attacks, foreign media also fears the unpreparedness of public security to hold large demonstrations that can occur during the Olympics and in larger numbers than usually already happens. This is the case of reporter Maria Martin, El Pais, which highlights the time when municipal guards of the city of Rio de Janeiro attacked protesters with pepper spray during a protest at the same time as the Olympic torch arrived on site.

Is the prepared Brazil to contain the violence and to the Olympic Games Rio 2016 a peace event, changing the vision that foreigners have of Rio de Janeiro and the country? Do not forget to leave your opinion.
Postar um comentário