sábado, 21 de dezembro de 2013

DJAN MADRUGA UM DOS MAIORES NOMES DA NATAÇÃO BRASILEIRA CONHECE O NOVO KORFEBOL BRASILEIRO




Djan Garrido Madruga (Rio de Janeiro, 7 de dezembro de 1958) é um nadador brasileiro. Formado e mestrado em Educação Física pela Universidade de Indiana, nos EUA.1 

CARREIRA DE DJAN MADRUGA
Prodígio precoce, Djan Madruga foi um dos maiores nadadores da história do Brasil, representando o seu clube, o Fluminense. A partir de março de 1974, com 15 anos de idade recém-feitos, passou a dominar as provas de fundo no continente. Em agosto de 74, depois de uma competição emOttawa, no Canadá, ele se tornou o recordista sul-americano dos 400m, 800m e 1500m livre. Em abril de 1975, ele quebrou a barreira dos 16 minutos nos 1500m, na Copa Latina em Las Palmas. Aos 16 anos já era recordista sul-americano dos 200m, 400m, 800m e 1500m livres. É o único nadador brasileiro a deter recordes simultâneos em todas as distâncias do nado livre dos 100 aos 1500 metros, feito ocorrido em 1979.2

Chegou a cinco finais de Jogos Olímpicos: em Montreal 1976, ficou em quarto lugar nos 400 metros livres (3m57s18) e nos 1500 metros livres(15m19s84). Em Moscou 1980 ficou em quarto lugar nos 400m livres (3m54s15), quinto lugar nos 400 metros medley (4m26s81) e ganhou a medalha de bronze no revezamento 4x200 metros livres (7m29s30) ao lado de Jorge Fernandes, Marcus Mattioli e Cyro Delgado.3

Nas eliminatórias dos 400m livres em Montreal 1976, Djan Madruga foi o primeiro brasileiro a bater um recorde olímpico na natação, sendo o primeiro nadador do mundo a baixar de 4 minutos na referida prova, com o tempo de 3m59s62.

Djan Madruga foi o primeiro sul-americano a fazer os 1500m livres abaixo de 16 minutos (1975), os 800m livres abaixo de 8 minutos (1980) e os 400m livres abaixo de 4 minutos (1976) 2 Seu recorde sul-americano mais duradouro foi o dos 800 metros livres, que ele bateu em 1980, com a marca de 7m59s85, fazendo um dos melhores tempos da história da prova à época. Vladimir Salnikov, que era o recordista mundial, havia feito 7m56s49 em 1979, o primeiro tempo abaixo de 8 minutos.

Ao longo da carreira, também obteve dez medalhas em três Pan-Americanos diferentes.4 5 6

Na Universíada, seu maior feito foi ter ganho a medalha de ouro nos 400m medley em 1979.2 Além disso, ganhou mais três medalhas de prata e quatro de bronze.7

Djan também foi triatleta profissional entre 1983 e 1987, conquistando os títulos de bicampeão brasileiro de média distância, vice-campeão dos EUAna distância olímpica, e campeão do Triathlon Internacional Sendai, no Japão. Também completou o Ironman do Havaí em 1984, onde bateu o recorde da etapa de Natação (3,8 km), terminando em 126º entre 1500 competidores. Em 1990, voltou a nadar, agora na categoria Master. Nela, obteve 12 títulos mundiais, e bateu 3 recordes mundiais.2

Djan foi Secretário Nacional de Esporte do Governo Federal por dois anos, designado como responsável pelo programa Bolsa Atleta. Também participou da campanha para trazer a Olimpíada de 2016 para o Rio de Janeiro, ajudando no planejamento e em apresentações feitas para o Comitê Olímpico Internacional.1

Seu recorde sul-americano dos 1500m livres só veio a ser quebrado quase 20 anos depois por Luiz Lima em 1995, e o dos 800m livres durou 29 anos e só foi quebrado por Luiz Rogério Arapiraca em 2009, vale ressaltar que Luiz quebrou o record com um traje tecnológico para natação, o maiô jaked. Assim, Djan lançou um desafio: quem bater seu record sul-americano de 7"59"85 nos 800m livres terá uma recompensa de 5,000,00 dólares.
Postar um comentário